Escudo: Cruzeiro
CRU Cruzeiro
Escudo: Avaí
AVA Avaí
Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG) - 18/11/2019 às 20h00

Evando soma seu primeiro ponto, mas Avaí está rebaixado à Série B

O Avaí empatou sem gols com o Cruzeiro, na noite desta segunda-feira (18), no fechamento da 33ª rodada da Série A. Apesar do primeiro ponto da equipe sob o comando de Evando Camillato, o Avaí está matematicamente rebaixado à segundona do futebol nacional.

O Cruzeiro, com o empate, até conseguiu deixar a zona dos quatro últimos ao empurrar o Fluminense, mas o jogo foi marcado por fortes protestos da torcida celeste.

Cruzeiro 0 a 0 Avaí, pela Série A 2019; jogo duro de assistir. Foto: Mourão Panda/O Fotográfico/Estadão Conteúdo

História do jogo

O Avaí, em cumprimento de tabela nessa reta final da Série A, chegou a Belo Horizonte disposto a, pelo menos, encerrar um jejum de 12 jogos sem vitórias – um empate e 11 derrotas.

Em campo o técnico Evando, em mais uma tentativa, mandou sua nona escalação diferente em nove jogos como técnico do Leão. Sem Betão e João Paulo, o treinador se viu obrigado a mexer em suas peças ao apostar em Marquinhos Silva e Luan Pereira, respectivamente.

Do outro lado, um time desesperado pela vitória e pela necessidade de sair do Z4 da Série A. O Cruzeiro faz parte de um seleto grupo de clubes que jamais desceu de divisão e, além da luta pela permanência, defende esse “orgulho” de todo o torcedor.

A Raposa, apesar da reação desde a chegada de Abel Braga onde o time enfileirou dez jogos sem derrotas, ainda patina na Zona Maldita. Com o mesmo número de pontos do Fluminense, o primeiro time fora do Z4, o representante celeste de Minas Gerais tem duas vitórias a menos e, nesse momento, imensa desvantagem no quesito.

O jogo

Com bola rolando a partida trouxe o que já era esperado. Com uma postura fechada, o Avaí esperou o Cruzeiro em seu campo para explorar os contra-ataques.

Apesar de ter a bola e o volume do jogo, o Cruzeiro não levou um efetivo perigo ao gol de Vladimir que, após 45 minutos de jogos, contabilizara duas defesas.

Por outro lado, o time de Abel Braga deu um massacre em bolas paradas: foram 11 escanteios a 2 ao longo da primeira etapa.

Igualdade no segundo tempo

A segunda etapa o panorama se manteve. Com vasta porcentagem de posse de bola o Cruzeiro aumentou a diferença, mas não conseguiu superar a defesa do Avaí. Na primeira meia-hora de segunda etapa o goleiro Vladimir assistiu a partida.

A segunda metade até mostrou um Cruzeiro mais incisivo, mas nada que pudesse alterar o rumo do confronto.

Próxima parada

O Cruzeiro vai ao litoral paulista para encarar o Santos, na Vila Belmiro, no sábado (23), a partir das 21h. Já o Avaí entra em campo no domingo, às 19h, contra a Chapecoense em clássico melancólico e desesperado.

Ficha técnica:

Cruzeiro: Fábio; Orejuela, Fabrício Bruno, Cacá e Dodô; Henrique e Ederson (Robinho); Marquinhos Gabriel (Pedro Rocha), Thiago Neves e David (Fred); Sassá. Técnico: Abel Braga

Avaí: Vladimir; Lourenço, Marquinhos Silva, Eduardo Kunde e Igor Fernandes; Luanderson (Wesley), Pedro Castro e Richard Franco; Luan Pereira (Matheus Barbosa), Caio Paulista (Matheus Lucas) e Vinícius Araújo. Técnico: Evando Camillato.

Cartões amarelos: Igor Fernandes (AVA); Thiago Neves, Pedro Rocha (CRU)

Local: estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG). Data: 18/11/19. Hora: 20h.

Arbitragem: Diego Pombo Lopez (BA); auxiliado por Eduardo Gonçalves da Cruz (MS) e Elicarlos Franco de Oliveira (BA).

Lances da partida

Mais conteúdo sobre

Futebol