Bahia e Atlético-MG marcam nos acréscimos e empatam em Salvador

Bruno Cantini / Atlético
Bruno Cantini / Atlético

Quem esperava uma disputa acirrada, não saiu decepcionado da Arena Fonte Nova. Nesta segunda-feira, Bahia e Atlético-MG se enfrentaram em um duelo de opostos que ficou indefinido até o apito final. Apesar de o time alvinegro ter aberto o placar bem no início, com gol de Matheus Galdezani, o Bahia alcançou o empate duas vezes e chegou ao importante resultado de 2 a 2, que tirou os tricolores da zona de rebaixamento.

Na pressão
Pressionado pela zona de rebaixamento, o Bahia tentou se impor logo nos primeiros minutos de jogo enquanto o Atlético buscava estratégias com toques no campo de defesa para avançar. A tática funcionou e, na primeira chance dos mineiros, Chará partiu em velocidade e deixou para Galdezani, que mal teve tempo para dominar e chutou de primeira para abrir o placar aos 4 minutos. Em desvantagem, o Bahia respondeu com rebote e bomba de Léo de fora da área, mas Victor fez grande defesa.

Dispara Chará
Veloz e com ampla visão de jogo, Chará deu trabalho para a defesa tricolor e participou das principais jogadas atleticanas, com arrancadas pela esquerda. Aproveitando os espaços deixados pelo Bahia, o colombiano tabelou com Luan e deixou Ricardo Oliveira na cara do gol, mas o camisa 9 chegou atrasado. As falhas do Bahia renderam bronca de Enderson Moreira, que pediu atenção a marcação. O time ouviu e logo dominou a posse de bola e intensificou as chegas com avanços dos meias Marco Antônio e Vinícius, que mostraram bom domínio pelas pontas.

Bahia se recupera, mas não marca
Apesar do gol sofrido no início, o Bahia se impôs na partida e apostou no jogo aéreo, obrigando o goleiro Victor a trabalhar em cabeceios de Thiago e Vinícius. Com mais posse de bola, o Tricolor pressionou na saída e deixou o Galo sem espaço para sair jogando, fazendo a equipe dar longos lançamentos, que não surtiram efeito. Melhor em campo, o Bahia não teve o mesmo talento nas finalizações, mas passou perto do empate com cabeceio de Edigar Junio que tirou tinta da trave. O Atlético-MG ganhou força no final e teve sua melhor chance quando Chará arrancou pelo lado direito, passou pelo zagueiro e deixou para Galdezani, que chutou forte, mas para fora.

Tricolor tem pressa na etapa final
O Bahia voltou mais atento para o segundo tempo, mas encontrou dificuldade para furar o bloqueio alvinegro e acabou deixando espaços para os comandados de Thiago Larghi saírem em contra-ataque. Com poucas chances para avançar, o Tricolor tinha pressa quando recuperava a bola no meio-campo, mas continuou travado nas finalizações e manteve a aposta nas bolas altas. Aos 12 minutos, Vinícius cobrou escanteio na segunda trave e Thiago cabeceou, mas Victor salvou.

Empate tricolor acende Arena Fonte Nova
Em desvantagem, o Bahia promoveu a entrada de Régis na vaga de Vinícius, na tentativa de manter a bola no chão, mas o meia levou cartão amarelo com menos de um minuto em campo e complicou a vida dos mandantes, que ficaram ainda mais pressionados com a entrada de Cazares. Apesar de ter mostrado iniciativa para buscar o segundo gol, o Atlético-MG logo voltou a ficar na defensiva. Mas uma falha da zaga garantiu a rápida cobrança de Régis, que mandou para Gilberto estufar as redes de Victor aos 38 minutos.

Final indefinido
O gol de Gilberto mudou totalmente os rumos da partida, que se encaminhava para uma vitória atleticana. Voraz, Chará fez jogada individual e deixa Ricardo Oliveira de frente para Anderson. Atento aos detalhes, o camisa 9 escolheu bem o canto e colocou o Atlético na frente novamente aos 46 minutos. Mas a alegria durou pouco, porque no último minuto dos acréscimos, Léo cobrou lateral na área, Patric se enrolou com a bola e deixou de bandeja para Régis dominar e carimbar o empate.

Próximos compromissos
Pelo Campeonato Brasileiro, o Atlético-MG volta aos gramados na próxima segunda-feira, quando recebe o Internacional, às 20h, no Independência. Um dia antes, no domingo, o Bahia tem a difícil missão de enfrentar o Fluminense no duelo de tricolores que acontece às 19h, no Maracanã, no Rio de Janeiro.

Mais conteúdo sobre

Esporte