Conteúdo por Gazeta Esportiva

Boselli vai ouvir família antes de decidir se fica Corinthians para 2020

Atualizado

Mauro Boselli chegou ao Corinthians no início do ano e assinou contrato com vencimento para dezembro de 2020. O documento também prevê uma cláusula que facilita a prorrogação do vínculo por uma temporada mais. As dificuldades no Brasil, porém, podem dar outro rumo ao argentino após o término do ano.

Boselli ainda não conseguiu se firmar como titular da equipe, não escondeu seu incômodo com a situação em entrevista nessa quarta-feira, e admitiu que fará uma avaliação de todo o cenário, inclusive sobre a adaptação de seus familiares, antes de decidir se vai permanecer no Corinthians.

“Faltam muitos jogos para terminar o campeonato e minha análise é geral, não é só futebolística, porque no futebol se joga um pouco mais, se joga um pouco menos, trata-se de brigar por espaço. A qualquer equipe que um jogador vá, mesmo que seja Messi e Cristiano Ronaldo, não é certo que será titular sempre, tem de brigar pelo seu lugar”, explicou.

“Minha avaliação inclui vida pessoal. Eu não falo da minha vida pessoal, mas minha família está tendo problemas para se adaptar, isso também influencia. É de tudo um pouco, não só futebol, porque a vida não se passa somente o futebol, depois do futebol temos 24 horas com a família, nós ficamos muito tempo fora de casa, e não estávamos acostumados. Há um monte de coisas que tenho de pensar. Mas isso é no fim do ano”, completou.

“Amanhã temos um jogo importantíssimo (contra o Athlético-PR), espero que o técnico me dê chance de começar, ou que eu entre no segundo tempo. Quero ajudar nos objetivos. No fim do ano vou avaliar. Hoje ainda não há sentido falar, pois ainda não tenho conclusões”.

Mauro Boselli recebe o teto salarial do Corinthians (Foto: © Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians)

Sondado pelo Boca Junior na última janela de transferências, Mauro Boselli goza de muita confiança e expectativa entre torcedores corintianos até hoje. E o centroavante percebe esse carinho pelas redes sociais. Algo que pode influenciar em sua decisão sobre ficar ou não no clube de Itaquera.

“Sim, tenho conhecimento do apoio, não estou todo dia nas redes sociais por falta de tempo, mas o carinho da torcida, mesmo eu não sento um titular indiscutível, me ajuda a trabalhar forte no dia a dia. Sei que posso ajudar com gols ou assistências, que para mim é o mesmo. É bom para o Corinthians. Agradeço todos os torcedores que perdem tempo me mandando mensagens de apoio. Vou seguir fazendo as coisas melhores ou iguais para devolver esse reconhecimento e sair com gols e entrega em campo”, concluiu.

Futebol