Conteúdo por Gazeta Esportiva

Brasil prepara segurança para Copa América com foco nos ‘barrabravas’

Com início marcado para a próxima sexta-feira, com a partida entre Brasil e Bolívia no Estádio do Morumbi, em São Paulo, a Copa América terá segurança reforçada em solo brasileiro, principalmente contra os tradicionais ‘barrabravas’ e torcedores violentos. A estratégia de contenção terá uma tecnologia de reconhecimento facial nos estádios durante toda a competição.

De acordo com a , o país, que possui um histórico de organizar megaeventos, como a Copa do mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, segue em preparação para conter qualquer problema e garantir a segurança das delegações, autoridades e turistas, evitando a entrada dos torcedores conhecidos por brigas e depredações.

“Com toda a expertise dos grandes eventos que já fizemos, posso garantir que nós temos condições totais de termos uma Copa América segura”, disse César Martinez, diretor de Operações Integradas no Ministério de Justiça e Segurança, à .

O primeiro filtro será nos aeroportos, portos e fronteiras terrestres. Os torcedores com antecedentes criminais em seus países serão parados no controle migratório. Além disso, a Argentina forneceu uma lista de 5.000 barrabravas. Essa base de dados, junto com a de outros países, “é atualizada diariamente”, disse Martinez. Outro filtro estará nos estádios, que vão contar com tecnologia de reconhecimento facial.

“Trabalhamos em parceria com os organismos de segurança pública e Interpol para impedir que um indivíduo indesejado, que já tenha causado distúrbios ou possa causá-los, entre nos estádios”, disse Hilario Medeiros, gerente de Segurança do Comitê Organizador Local (COL) da Copa América.

A vigilância nos estádios vai ficar a cargo de 10.000 agentes de segurança privada contratados pelo COL, informou Medeiros. Os entornos serão vigiados pelas polícias de cada estado. O esquema inclui um estudo cuidadoso dos trajetos dos ônibus de esportistas e torcedores, levando em conta os incidentes registrados durante a final da Libertadores em 2018 em Buenos Aires.

O jogo de abertura entre Brasil e Bolívia, na sexta-feira no Estádio Morumbi, terá um efetivo reforçado, devido à possível presença do presidente Jair Bolsonaro. A proteção ao chefe de estado é mais rigorosa desde a facada que quase tirou a vida do chefe de estado durante um ato de campanha em setembro do ano passado. O Batalhão de Ações com Cães (BAC) vai vasculhar as instalações em busca de possíveis bombas.

Copa América