Brasil tem oito concorrentes aos títulos da etapa brasileira do circuito mundial

Atualizado

Gabriel Medina está nas oitavas. Foto: Damien Poullenot/ND

Em mais um dia de praia lotada desde cedo, foram definidos os classificados para as oitavas de final do Oi Rio Pro 2019 em Saquarema, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro. A sexta-feira de mar difícil, com ondas pesadas que chegaram a 6-8 pés de altura na Praia de Itaúna, começou bem para o Brasil, com a jovem Tainá Hinckel vencendo a primeira bateria do dia para se juntar a Silvana Lima e Tatiana Weston-Webb, que já haviam garantido seus nomes na quinta-feira. Já a batalha pelas vagas nas oitavas masculinas, começou e terminou com duelos brasileiros vencidos pelo defensor do título do Oi Rio Pro, Filipe Toledo, e pelo bicampeão mundial Gabriel Medina. Os outros que passaram para as oitavas de final foram o cearense Michael Rodrigues e os paulistas Jessé Mendes e Deivid Silva.

A terceira fase foi disputada no sistema “dual heat”, com duas baterias sendo disputadas simultaneamente, a seguinte começando na metade dos 40 minutos da que estava no mar. Somente a primeira foi iniciada com apenas dois surfistas, no clássico de campeões do Oi Rio Pro em Saquarema. A torcida vibrou na praia já lotada as 11h00, com a passagem de Filipe Toledo e do campeão mundial Adriano de Souza para entrar no mar. Mineirinho começou bem, massacrando uma onda para largar na frente com nota 7,5, enquanto Filipe arriscou um aéreo em sua primeira e quebrou a prancha, tendo que sair do mar para pegar outra.

Gabriel Medina é muito assediado nas areias da praia de Itaúna. Foto: Damien Poullenot/WSL/ND

Depois, achou duas ondas boas seguidas nas esquerdas para mostrar a potência do seu backside, atacando as partes mais críticas com muita força para ganhar notas 7,33 e 6,67 e assumir a liderança da bateria. As ondas continuavam subindo, mas sem boa formação no mar muito balançado pela força do swell. Não entraram muitas ondas boas depois para Adriano, mas Filipe ainda achou outra para mostrar suas manobras e trocar a nota 6,67 por 6,93 e conquistar a primeira vaga nas oitavas de final por 14,26 a 10,27 pontos.

“O mar está muito difícil lá fora, porque subiu muito desde a manhã, com bastante correnteza e ondas quebrando em tudo que é lugar”, disse Filipe Toledo. “Eu tentei um aéreo muito alto no início e acho que teria completado se a prancha não tivesse quebrado. Depois eu consegui achar boas ondas para vencer e quero parabenizar o Adriano (de Souza), porque é sempre um prazer surfar com ele. Como somos os únicos que vencemos aqui em Saquarema, foi, sem dúvida, a bateria que me senti mais nervoso esse ano, porque ele é sempre muito perigoso”.

Filipe Toledo defende o título da etapa. Foto: Damien Poullenot/ND

Filipe conseguiu um inédito bicampeonato no Oi Rio Pro no ano passado e segue na busca pelo terceiro título na etapa brasileira do World Surf League Championship Tour em Saquarema. A primeira ele conquistou na estreia da Oi como patrocinador “naming rights” em 2015 na capital carioca, diante de uma multidão impressionante no Postinho da Barra da Tijuca. Neste sábado, ele volta a enfrentar o onze vezes campeão mundial Kelly Slater, como na terceira etapa do ano na Indonésia, quando foi derrotado pelo maior ídolo do esporte.

Antes de Gabriel Medina fechar a sexta-feira com Jadson André, aconteceu outro duelo verde-amarelo na terceira fase. O catarinense Willian Cardoso não conseguiu achar boas ondas e foi batido pelo cearense Michael Rodrigues por 12,06 a 6,20 pontos. Na disputa seguinte, o único brasileiro com chances de brigar pela liderança do ranking em Saquarema, Italo Ferreira, foi derrotado pelo português Frederico Morais, que vai enfrentar Michael Rodrigues nas oitavas.

BRIGA PELA LIDERANÇA – Ao contrário de Italo Ferreira, o número 1, John John Florence, confirmou o favoritismo contra outro brasileiro, Krystian Kymerson. O capixaba foi convidado pela World Surf League para substituir o contundido Mateus Herdy e tinha derrotado até o quinto do ranking, Jordy Smith, em sua primeira bateria em etapas do CT. Porém, contra o havaiano, não conseguiu repetir a boa atuação e terminou em 17.o lugar no Oi Rio Pro.

Agora, o único que pode tirar a lycra amarela do Jeep Leaderboard de John John Florence em Saquarema é o vice-lider, Kolohe Andino. O californiano competiu duas vezes na sexta-feira, porque tinha ficado em último lugar na sua estreia na Praia de Itaúna na quinta-feira. Na primeira, passou em segundo lugar e depois derrotou Soli Bailey. No entanto, para ultrapassar os 30.735 pontos que John John já garantiu no ranking, Kolohe tem que vencer a etapa brasileira e o havaiano não passar mais nenhuma bateria em Saquarema.

Michael Rodrigues superou Willian Cardoso. Foto: Damien Poullenot/WSL/ND

Então, para Kolohe, tudo vai depender do australiano Wade Carmichael, vice-campeão do Oi Rio Pro no ano passado e que derrotou o recordista absoluto do primeiro dia, Yago Dora, na sexta-feira. Wade será o adversário de John John Florence nas oitavas de final. Apesar das inesperadas derrotas de Italo Ferreira e Yago Dora, a torcida vibrou bastante com as duas classificações brasileiras mais emocionantes da sexta-feira na Praia de Itaúna.

MELHOR BRASILEIRO – A primeira foi a do paulista Jessé Mendes, conquistada no último minuto, quando arriscou tudo numa onda difícil de surfar, para ganhar nota 6,10 e virar o placar para 11,60 a 11,10 pontos do americano Conner Coffin. Jessé vai disputar a quarta oitava de final com o australiano atual vice-campeão mundial, Julian Wilson. A outra foi a do também paulista Deivid Silva, que fez a melhor apresentação verde-amarela do dia em Itaúna.

Deivid é uma das novidades na “seleção brasileira” deste ano e mostrou segurança para fazer as manobras no mar difícil e balançado da sexta-feira. Ele começou forte com nota 7,83 e dominou todo o confronto com o havaiano Seth Moniz. Depois, surfou muito bem outra onda boa para somar nota 7,00 no placar de 14,83 pontos, que na sexta-feira só ficou abaixo dos 15,83 do sul-africano Jordy Smith, recorde da terceira fase.

Jessé Mendes também está nas oitavas. Foto: Thiago Diz/WSL/ND

“Estou muito amarradão por ter passado essa bateria importante para me manter no CT”,disse Deivid Silva. “Eu sabia que não ia ser fácil, porque o Seth (Moniz) já conseguiu bons resultados esse ano. É a melhor sensação do mundo estar no Tour, surfando com os melhores do mundo em frente dessa torcida incrível na areia. Você sente de perto toda essa energia positiva, é sensacional, então espero seguir avançando para viver isso mais vezes aqui”.

MEDINA X JADSON – Gabriel Medina e Jadson André entraram no mar para fechar a terceira fase, logo depois de Deivid Silva fazer a melhor apresentação brasileira do dia. E ainda tinha Caio Ibelli dentro d´água, que foi derrotado pelo taitiano Michel Bourez na penúltima bateria. Jadson pegou as primeiras ondas e na terceira conseguiu fazer mais manobras para ganhar 4,33 dos juízes. Medina demorou mais de 10 minutos para entrar em sua primeira onda e já foi melhor do que as do potiguar, nota 5,67, mas Jadson seguia na frente com duas ondas.

O bicampeão mundial entrou no ritmo das séries, logo pegou outra onda e a torcida vibrava bastante a cada manobra até a beira. Medina recebeu nota 7,33 logo nesta segunda onda e Jadson não conseguiu ultrapassar os 13,00 pontos que ele já computava. O guerreiro potiguar tentou reverter o placar algumas vezes e o máximo que conseguiu foi 6,57. No final, Medina fez uso da sua prioridade, entrando numa onda que Jadson tinha remado e foi manobrando até voar num aéreo de backside para fechar o dia com a torcida explodindo nas areias com mais uma vitória do fenômeno brasileiro.

“Estou feliz por ter ganhado a bateria, mas foi uma pena ter sido contra o Jadson (André), que é um surfista que eu admiro muito”, disse Gabriel Medina. “Ele é muito guerreiro e, por ser um pouco mais velho do que eu, lembro de assistir ele tirando várias notas 10 e vencendo o (Kelly) Slater (na final do CT de Imbituba-SC em 2010). O mar estava um pouco difícil hoje e no final tive que usar a estratégia para garantir a vitória. A previsão é de o mar melhorar para amanhã, então vai ser mais um dia de show de surfe aqui certamente”.

Catarinense Tainá Hinckel surpreendeu favoritas em Saquarema. Foto: Damien Poullenot/ND

BRASIL X HAVAÍ NO FEMININO – Antes da disputa pelas vagas nas oitavas de final masculinas, a sexta-feira tinha começado muito bem para o Brasil. Na primeira bateria do dia, a jovem catarinense Tainá Hinckel, de 16 anos apenas, surpreendeu ao derrotar duas australianas tops da elite bem mais experientes. A número 4 do ranking, Sally Fitzgibbons, de 28 anos e 13 deles no Circuito Mundial, começou melhor com nota 5,33, mas a brasileira pegou duas ondas boas seguidas e surfou bem para receber notas 6,00 e 5,10 que lhe garantiram a vitória.

“Estou muito feliz por ter vencido essa bateria”, disse Tainá Hinckel. “Estou vivendo dias incríveis aqui com meu pai, está dando tudo certo e quero continuar assim, só pensando em me divertir e em surfar. Eu amo surfar, amo a minha vida e tudo o que está acontecendo, então só tenho que agradecer à Deus por tudo. Eu só quero fazer o meu melhor nas baterias e espero continuar avançando no evento”.

Sally Fitzgibbons chegou perto de confirmar o favoritismo numa onda que valeu 5,67 e avançou em segundo com 11 pontos, enquanto Nikki Van Dijk, 24 anos, foi eliminada em último lugar no Oi Rio Pro. Com a vitória de Tainá Hinckel, as três participantes do Brasil vão disputar as oitavas de final em três confrontos diretos com o Havaí seguidos em Saquarema.

O primeiro será o da cearense Silvana Lima com Malia Manuel na quarta bateria. Tainá entra na seguinte com a recordista nas ondas de Itaúna esse ano, a tricampeã mundial Carissa Moore. E a gaúcha Tatiana Weston-Webb está na sexta com Coco Ho, que estreou em Saquarema batendo a defensora do título do Oi Rio Pro, a heptacampeã mundial e líder do ranking 2019, Stephanie Gilmore, que entra na sétima com a neozelandesa Paige Hareb.

Oi Rio Pro 2019 está acontecendo com os patrocínios da Oi como “naming rights” da etapa brasileira do World Surf League Championship Tour e da Corona, Jeep, Harley Davidson, Polo Blue, Red Bull, Subway, Havaianas e apoio da Prefeitura Municipal de Saquarema e do Governo do Estado do Rio de Janeiro pela Secretaria Estadual de Esporte, Lazer e Juventude (SEELJE), através da Lei de Incentivo à Cultura e ao Esporte. O evento da World Surf League também conta com o apoio institucional da Confederação Brasileira de Surf (CBSurf), Federação de Surf do Estado do Rio de Janeiro (FESERJ), Associação de Surf de Saquarema (ASS) e está sendo transmitido ao vivo pelo www.worldsurfleague.com .

OITAVAS DE FINAL DO OI RIO PRO 2019:
OITAVAS MASCULINAS – 9º lugar com 3.320 pontos e US$ 14.100:
1ª: Filipe Toledo (BRA) x Kelly Slater (EUA)
2ª: Kanoa Igarashi (JPN) x Joan Duru (FRA)
3ª: Michael Rodrigues (BRA) x Frederico Morais (PRT)
4ª: Julian Wilson (AUS) x Jessé Mendes (BRA)
5ª: John John Florence (HAV) x Wade Carmichael (AUS)
6ª: Jordy Smith (AFR) x Griffin Colapinto (EUA)
7ª: Kolohe Andino (EUA) x Deivid Silva (BRA)
8ª: Gabriel Medina (BRA) x Michel Bourez (TAH)

OITAVAS FEMININAS – 9º lugar com 2.610 pontos e US$ 14.100:
1ª: Lakey Peterson (EUA) x Macy Callaghan (AUS)
2ª: Sally Fitzgibbons (AUS) x Johanne Defay (FRA)
3ª: Caroline Marks (EUA) x Keely Andrew (AUS)
4ª: Malia Manuel (HAV) x Silvana Lima (BRA)
5ª: Carissa Moore (HAV) x Tainá Hinckel (BRA)
6ª: Tatiana Weston-Webb (BRA) x Coco Ho (HAV)
7ª: Stephanie Gilmore (AUS) x Paige Hareb (NZL)
8ª: Courtney Conlogue (EUA) x Bronte Macaulay (AUS)

RESULTADOS DO OI RIO PRO NA SEXTA-FEIRA:
TERCEIRA FASE – Vitória=Oitavas/2º= 17º lugar, 1.330 pontos e US$ 10.500:
1ª: Filipe Toledo (BRA) 14.26 x 10.27 Adriano de Souza (BRA)
2ª: Kelly Slater (EUA) 11.93 x 8.20 Sebastian Zietz (HAV)
3ª: Kanoa Igarashi (JPN) 13.67 x 10.37 Ricardo Christie (NZL)
4ª: Joan Duru (FRA) 12.40 x 10.13 Owen Wright (AUS)
5ª: Frederico Morais (PRT) 13.27 x 7.13 Italo Ferreira (BRA)
6ª: Michael Rodrigues (BRA) 12.06 x 6.20 Willian Cardoso (BRA)
7ª: Julian Wilson (AUS) 8.90 x 6.10 Ezekiel Lau (HAV)
8ª: Jessé Mendes (BRA) 11.60 x 11.10 Conner Coffin (EUA)
9ª: John John Florence (HAV) 11.83 x 9.24 Krystian Kymerson (BRA)
10ª: Wade Carmichael (AUS) 12.37 x 11.40 Yago Dora (BRA)
11ª: Jordy Smith (AFR) 15.83 x 11.00 Jack Freestone (AUS)
12ª: Griffin Colapinto (EUA) 10.73 x 7.57 Ryan Callinan (AUS)
13ª: Kolohe Andino (EUA) 12.87 x 8.56 Soli Bailey (AUS)
14ª: Deivid Silva (BRA) 14.83 x 8.33 Seth Moniz (HAV)
15ª: Michel Bourez (TAH) 11.44 x 6.10 Caio Ibelli (BRA)
16ª: Gabriel Medina (BRA) 13.00 x 10.90 Jadson André (BRA)

SEGUNDA FASE – 1º e 2º=Oitavas/3º=33º lugar com 265 pontos e US$ 10.000:
1ª: 1-Sebastian Zietz (HAV) 12.77 2-Kolohe Andino (EUA) 12.00 3-Alex Ribeiro (BRA) 7.33
2ª: 1-Krystian Kymerson (BRA) 11.43 2-Jordy Smith (AFR) 9.67 3-Adrian Buchan (AUS) 7.54
3ª: 1-Conner Coffin (EUA) 14.83 2-Ezekiel Lau (HAV) 10.73 3-Peterson Crisanto (BRA) 7.54
4ª: 1-Wade Carmichael (AUS) 11.77 2-Jack Freestone (AUS) 9.10 3-Jeremy Flores (FRA) 8.46

SEGUNDA FASE – 1ª e 2ª=Oitavas/3ª=17º lugar, 1.045 pontos e US$ 10.500:
1ª: 1-Tainá Hinckel (BRA) 11.10 2-Sally Fitzgibbons (AUS) 11.00 3-Nikki Van Dijk (AUS) 10.53
2ª: 1-Johanne Defay (FRA) 12.40 2-Malia Manuel (HAV) 10.57 3-Brisa Hennessy (CRI) 7.16

Surfe