Brusque bate o Avaí na Ressacada e conquista a Recopa Catarinense

Atualizado

O Brusque venceu o Avaí e conquistou a segunda edição do Recopa Catarinense. Edu, aos 43 minutos do primeiro tempo e aos 38 da segunda etapa decretou o 2 a 0 no placar.

Brusque derrota o Avaí e conquista a Recopa Catarinense – Foto: FCF/Reprodução/Twitter

Embalado, o Brusque venceu sua terceira final consecutiva. Venceu a série D e a Copa Santa Catarina em 2019, e agora vence a Recopa Catarinense.

Os quase 8 mil avaianos na Ressacada acabaram deixando o estádio antes mesmo do apito final. O Leão começa o ano pressionado.

Primeiro tempo

O Brusque foi superior ao Avaí durante o primeiro tempo. A equipe criou ao menos quatro chances claras de gol.

Treinando há apenas onze dias, o Avaí demostrou pouco entrosamento e teve dificuldade para criar chances de gol.

A pressão da equipe visitante começou logo aos nove minutos. Edu arrancou pela esquerda e viu Thiago Alagoano completamente livre, mas o meia acabou se enrolando com a bola, deixa fácil para o goleiro Lucas Frigeri.

No minuto seguinte, Thiago voltou a receber passe na lateral da grande área e bateu cruzado de perna esquerda para fora.

Aos 38, Edilson cobrou falta na área e Edu cabeceou para as redes, mas foi marcado o impedimento do atacante.

O Avaí respondeu aos 40, Wesley achou bom passe para Capa pelo lado esquerdo, o lateral cruzou rasteiro, Luan Pereira e Valdívia deixaram passar deixando a bola limpa para Alemão, que dominou, girou e chutou fraquinho para fora.

A “justiça” acabou sendo feita aos 43 minutos. Em saída errada do Leão, o centroavante Edu foi acionada pela esquerda, trouxe pra dentro e mandou colocado no ângulo. Um golaço.

O Avaí saiu sob um misto de vaias e aplausos para o vestiário.

Segundo tempo

O Brusque recuou e cedeu campo ao Avaí, que voltou com Jonathan no lugar de Alemão. A substituição surtiu efeito, o garoto obrigou o goleiro Dida, que substituiu Zé Carlos machucado, a fazer ao menos duas boas defesas.

Jogadores comemoram o título com a torcida – Foto: Lucas Gabriel/ Brusque FC

O técnico português Augusto Inácio ainda tentou reagir com Da Silva no lugar de Arnaldo, recuando Lourenço para a lateral direita, mas pouco adiantou.

Já aos 38 da segunda etapa, Thiago Alagoano avançou pela esquerda, cruzou, Lucas Frigeri defendeu e Edu, de novo ele, mandou para as redes decretando o título.

Foi o estopim para boa parte da torcida deixar o estádio antes mesmo do fim do jogo. A partida terminou com os poucos torcedores do Brusque presentes na Ressacada gritando olé para o toque de bola do time visitante.

Os poucos torcedores do Leão que ficaram após o término da partida protestaram contra o presidente Francisco Battistotti. Alvo da torcida desde o ano passado, o volante Pedro Castro também foi muito xingado.

O Avaí volta a campo na próxima quarta-feira (22) quando enfrenta a Chapecoense, em Chapecó, em partida válida pela primeira rodada do Campeonato Catarinense.

Augusto Inácio fala em retomada

Em coletiva após a partida, o técnico português, Augusto Inácio, falou sobre o pouco tempo de treinamento que a equipe teve até o jogo – apenas 11 dias – além da chegada dos novos reforços. “O torcedor não quer saber quanto tempo de preparação você tem, o torcedor quer ganhar. Queríamos dar essa alegria, mas não foi possível”, lamentou o treinador.

Questionado sobre a análise individual dos reforços badalados, Wesley e Valdívia, o “mister” afirmou que não gosta de fazer análises individuais, apenas coletivas. Porém, disse que esperava mais de Luan Pereira. “Eu esperava mais do Luan, ele ainda não consegue fazer no jogo o que faz nos treinos”, explicou o português.

Sem citar nomes, Augusto ainda afirmou que dois ou três jogadores não “acreditaram que era possível” durante o segundo tempo. “Isso já foi conversado diretamente no vestiário, cansados ou não é preciso acreditar sempre, dar sempre um pouco mais”, cobrou o treinador.

Ficha técnica

Avaí 0x2 Brusque

Avaí: Lucas Frigeri; Arnaldo (Da Silva), Betão, Rafael Pereira e Capa; Pedro Castro, Wesley, Lourenço, Valdívia e Luan Pereira; Alemão (Jonathan). Técnico: Augusto Inácio

Brusque: Zé Carlos (Dida); João Carlos, Ianson, Everton Alemão e Aírton; Rodolfo, Zé Mateus, Thiago Alagoano, Edilson (Ruan) e Marco Antônio (Dandan); Edu. Técnico: Jersinho Testoni

Local: estádio da Ressacada, em Florianópolis

Público e renda: 7.753 presentes para uma renda de R$ 75.604

Gols: Edu (B) aos 43 minutos do primeiro tempo e aos 38 minutos do segundo tempo.

Cartões Amarelos: Luan Pereira (A), Rodolfo Potiguar (B), Thiago Alagoano (B), Edílson (B), Ianson (B), Zé Mateus e Edu (B).

Arbitragem: Diego da Costa Cidral auxiliado por Alex dos Santos e Henrique Neu Ribeiro; Adriano Roberto de Souza foi o 4° árbitro.

Mais conteúdo sobre

Futebol