Conteúdo por Gazeta Esportiva

Campeão em 89, Bismarck confia em título do Brasil, mas crítica pouca renovação

Ex-meia defende renovação de nomes (Foto: Luca Castilho/Gazeta Press)

Na noite desta quinta-feira, o Brasil decide sua classificação na Copa América. A Seleção encara o Paraguai, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, às 21h30 (de Brasília), pelas quartas de final da competição. Após terminar na liderança do Grupo A, com 7 pontos, os comandados de Tite terão pela frente o terceiro colocado do Grupo B, que somou apenas dois pontos.

Em entrevista exclusiva à Gazeta Esportiva, em evento na Japan House, o ex-meia Bismarck comentou sobre o atual grupo montado para o torneio.

“A convocação do Tite foi para ganhar a Copa América. Eu achava que ele ia chamar jogadores mais jovens, já prevendo a próxima Copa do Mundo, mas foi mais para ser campeão e se manter no cargo”, disse o jogador campeão da competição continental em 1989.

Apesar da perspectiva otimista, o atual empresário de atletas acredita que a Seleção deve passar por mudanças. “O Brasil ainda precisa renovar, ter jogadores mais jovens. Apesar das chances de conquistar a Copa América, este não é o time para a próxima Copa do Mundo“, comentou.

Por fim, o carioca defendeu Tite e acredita na continuidade do treinador à frente da Seleção. “A eliminação na Copa amadureceu muito e ele tem mostrado um resultado melhor”, concluiu Bismarck.

*Especial para a Gazeta Esportiva

Copa América