Conteúdo por Gazeta Esportiva

Campello acusa resistência interna para melhorar nível do Vasco

“O Vasco está muito melhor do que quando encontramos”. Apesar de usar esta frase, o presidente Alexandre Campello reconhece que o clube permanece com muitos problemas a resolver. Com uma dívida de R$ 680 milhões, a equipe ainda sofre com diversas limitações, além de passar por uma resistência interna, segundo o próprio dirigente.

“O problema financeiro é grande, a gente sabe que tem muita gente remando para trás. Se alguns jogadores se recusam a vir por causa dos salários, e isso às vezes acontece, nós vemos gente da política ligando para não vir, falando mal do clube. Temos esse conhecimento até de ligação para patrocinadores tentando atrapalhar”, disse Campello, em entrevista ao Fox Sports.

A questão de atrasos de salários continuará sendo uma realidade no Vasco em 2020. O próprio Campello reconhece essa realidade mesmo priorizando uma gestão equilibrada, sem realizar loucuras no orçamento.

“Colocar salários em dia não é solução da noite para o dia, só vai existir se tratarem as contas do Vasco de forma séria, é o que estamos fazendo. Não se paga dívida de 680 milhões da noite para o dia”, disse.

Por fim, o presidente do Vasco admite que as limitações financeiras prejudicam o Vasco até na escolha por contratações. Por conta deste detalhe, o time carioca acaba ficando para trás na concorrência com outras equipes.

“No papel tudo funciona, a questão é na prática. Quando há recursos, você vai lá e contrata. Quando não tem recursos, precisa correr mais riscos, trazer jogadores que podem acertar ou não. Nós trouxemos alguns jogadores usando a criatividade, o Leandro Castán, o Fernando Miguel, foram nomes sem investir dinheiro, só pagando o salário. Alguns emplacaram, Mas, mesmo tendo muito dinheiro, como vemos no rival, alguns não dá certo”, explicou Campello.

Mais conteúdo sobre

Futebol