Conteúdo por Gazeta Esportiva

Carille analisa crise no Corinthians e cita aprendizado da época de auxiliar

Atualizado

Definitivamente, o técnico Fábio Carille vive o seu pior momento como treinador do Corinthians. Depois da derrota para o Cruzeiro, no último sábado, já são cinco jogos seguidos sem vitória. Após o jogo, o comandante alvinegro analisou a fase do Timão, mas garantiu que já viveu momentos semelhantes como auxiliar.

“Como técnico é sim a primeira crise, mas em 11 anos de Corinthians não. Já vi tudo. Os oito anos como auxiliar foram uma faculdade, mais do que isso, o dia a dia e a realidade. Faz a gente trabalhar mais ainda, rever algumas coisas, dar apoio ao grupo”

Carille lembrou os tempos de crise como auxiliar do Corinthians (Foto: Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians)

Carille ainda relembrou da época em que Tite foi bancado por Andrés Sanchez depois da eliminação para o Tolima, na Pré-Libertadores de 2011. Naquela época, o atual treinador do Timão já fazia parte da comissão técnica permanente.

“O principal aprendizado que tive foi naquela derrota do Tolima, o Andrés bancou o Tite naquele período e depois fomos muito vitoriosos. Sei que trabalho muito, meu grupo trabalha demais. Mesmo com tantas dificuldades ainda estamos na parte de cima. Se melhorar, vamos continuar em cima e conseguir nosso objetivo”, declarou.

Carille é contestado não só pelos resultados, mas também pelo desempenho de sua equipe em campo. O que era uma crítica apenas pelo estilo de jogo do treinador, passou a envolver também a entrega dos jogadores. Após o jogo, parte da torcida protestou, pedindo “raça e vontade” à equipe. O técnico corintiano, entretanto, rebateu o descontentamento da Fiel.

“Discordo totalmente dessa questão de raça e de vontade. Pelas partidas que estamos fazendo, se não estivéssemos correndo, estaríamos perdendo por mais gols. São muitos erros, uma forma tática que precisa ser melhor elaborada. Precisamos todos crescer aqui dentro”, encerrou.

Futebol