Conteúdo por Gazeta Esportiva

Carinho de gremistas e oração nos penais: a noite “especial” de Alisson

Atualizado

Alisson foi um dos protagonistas da dramática classificação da Seleção Brasileira às semifinais da Copa América. Na noite desta quinta-feira, jogando no estado onde nasceu, mas na arena do arquirrival do clube no qual foi revelado, o goleiro foi decisivo na disputa por pênaltis.

Em plena Arena Grêmio, o jogador, natural de Novo Hamburgo (RS) e ex-goleiro do Internacional, revelou ter sido contemplado até com o apoio de quem estava acostumado a hostilizá-lo.

“Para mim um momento especial, aqui na minha cidade. Por mais que seja na Arena (risos) eu senti todo o carinho, tanto da torcida colorada quanto dos gremistas, minha família perto. Um sentimento muito especial”, disse à TV Globo.

Após empate por 0 a 0 no tempo normal, Alisson defendeu o pênalti de Gustavo Gómez, primeiro a cobrar pelo Paraguai, e foi decisivo na vitória por 4 a 3. Roberto Firmino desperdiçou pelo Brasil, mas Derlis Gonzáles mandou para fora antes de Gabriel Jesus selar a classificação.

“Meus companheiros, antes de tudo, fizeram a parte deles, o que é muito importante. Uma geração de jovens, mas que assume a responsabilidade no momento que tem de assumir, já com uma bagagem no futebol”, declarou Alisson, que revelou seu ritual durante as penalidades.

“Todo mundo fica na ansiedade, mas eu dentro de campo mantenho a tranquilidade. Sempre antes da batida eu oro e peço a Deus para que esses sentimentos de fora não interfiram no meu trabalho e não me tirem a confiança. Dessa maneira eu consegui manter a tranquilidade, com a ajuda do Taffarel, do Mauri, do Ederson e do Cássio, isso é muito importante para ter um resultado assim”, concluiu.

Pelas semifinais da Copa América, o Brasil enfrentará o vencedor do duelo entre Argentina e Venezuela, que medem forças nesta sexta-feira, às 16 horas (de Brasília), no Maracanã. A partida, valendo vaga na decisão, está marcada para a próxima terça, no Mineirão.

Copa América