Conteúdo por Gazeta Esportiva

Cássio dá entrevista bem-humorada e garante grupo fechado com Carille

Risadas, piada e bom-humor. As características não são comuns a uma equipe que não vence há três jogos no Campeonato Brasileiro e que vem de derrota para o rival São Paulo no final de semana. No entanto, foi nesse clima que o goleiro Cássio concedeu entrevista coletiva nesta terça-feira, em uma tentativa de quebrar o clima pesado no Corinthians.

“Lógico que temos de melhorar, evoluir, temos de melhorar para pegar vaga direta na Libertadores…Precisamos nos ajudar. Acaba perdendo clássico, a cobrança é maior. Mas, falando de dentro, não vejo isso que estão falando, de descontentamento dos jogadores. Cada um tem seu jeito de pensar, mas não vejo atrito, descontentamento. De repente algumas coisas não são verdades, de repente quando o time não vem bem, acaba perdendo o clássico, vêm essas notícias”, analisou.

Diante do momento conturbado, Cássio garante que prefere ficar alheio ao noticiário, a fim de se blindar dos comentários negativos. E, para o goleiro, o importante é que o grupo está unido em busca de um mesmo objetivo.

“Bem honesto, não tenho visto, não tenho acompanhado muitas notícias, tento me blindar um pouco sobre isso…O grau de comprometimento dos jogadores é muito grande, a interação com Carille, não vejo ninguém incomodado, todo mundo comprometido em ajudar”, afirmou.

Seguindo nessa linha, o arqueiro admitiu que o time precisa de uma melhora de desempenho, mas voltou a ressaltar que o grupo está fechado com Fabio Carille.

“Futebol é resultado. Eu concordo que temos de ser melhores, mas não é por falta de trabalho, dedicação, empenho. De repetente não está tão bom, mas é a melhor defesa do Brasileiro. Tem 13 partidas importantes. Lógico que aqui no Corinthians sempre tem pressão, mas estamos completamente juntos com diretoria, treinador, jogadores, todo mundo no mesmo barco e vamos até o final”, declarou.

Cássio ainda fez questão de exaltar o treinador, e relembrou outras situações adversas da equipe para afirmar que o momento atual não é tão ruim quanto aparenta.

“O Fabio é nosso líder, é o nossos treinador, isso se deve respeito, é uma situação que muitas vezes falaram sobre mim, até em 2016 isso, que eu fui bastante criticado e falavam coisas assim, mas não leva com relevância, nem toda critica é negativa. Desculpa, mas acho que vocês estão criando uma polêmica maior do que é, de repente por ter perdido um clássico. Lógico que há critica pelo desempenho, mas tem que ver no contexto geral, a gente fez mais de 60 jogos, o que a gente conseguiu, ano passado eu não conseguia nem dormir, estava com essa pontuação na 37° rodada. Acordava de madrugada: ‘a gente está brigando pra não cair’… então, nem tudo está errado, nem tudo é negativo. É nesse caminho, não tem que ficar apontando, temos de continuar unidos como a gente é”, completou.

Futebol