Catarinenses faturam os títulos do Oi Pro Júnior Series nas ondas da Barra da Tijuca

Atualizado

Mateus Herdy confirmou o favoritismo no Rio. Foto: Pedro Monteiro/ND

Em duas finais emocionantes e decididas nos últimos minutos, os catarinenses fizeram a festa na primeira das quatro etapas do Oi Pro Junior Series no domingo no Rio de Janeiro. Eles venceram as duas categorias do Pro Junior Sub-18, com Mateus Herdy derrotando o paulista Daniel Adisaka e Tainá Hinckel acabando com a invencibilidade de dois anos da peruana Sol Aguirre na América do Sul.

Os campeões receberam US$1.200 pelas vitórias no primeiro evento no Brasil com o princípio da igualdade na premiação dos homens e mulheres, incentivado pela World Surf League. A próxima etapa será nos dias 12 a 14 de julho em Salvador (BA). No domingo decisivo do primeiro desafio no Rio de Janeiro, as ondas apresentaram uma boa formação na Barra da Tijuca, mas as séries estavam muito demoradas.

DESAFIO DE CAMPEÃS – A final feminina do Oi Pro Junior Series foi um verdadeiro desafio entre as últimas campeãs sul-americanas. A bateria começou devagar e a primeira boa onda foi surfada pela bicampeã de 2017 e 2018, Sol Aguirre, que valeu 4,25. A campeã de 2016, Tainá Hinckel, deu o troco e recuperou a liderança com 4,50.

As ondas demoravam bastante para entrar e logo soou o sinal dos cinco minutos finais da bateria sem nenhuma delas surfar. Então, Tainá pegou uma esquerda e mandou um batidão que recebeu outro 4,50 dos juízes, para acabar com a invencibilidade da peruana em finais disputadas desde 2017. Sol Aguirre ainda surfou uma onda no final, mas só valeu 3,25, e Tainá Hinckel festejou a vitória no Oi Pro Junior Series por 9,00 a 7,50 pontos, começando a temporada 2019 do Pro Junior como líder do ranking da WSL South America.

Tainá Hinckel venceu entre as meninas. Foto: Pedro Monteiro/ND 

“Estou muito feliz pela vitória e quero agradecer principalmente a Deus. Acho que a lição nesse campeonato foi sobre acreditar em mim, no que eu posso, então agora é comemorar”,disse Tainá Hinckel, que derrotou os grandes destaques do surfe peruano no domingo, Daniela Rosas nas semifinais e Sol Aguirre. “Minha meta desde que cheguei aqui era vencer o campeonato por mim mesma, conseguir o objetivo que eu almejava. Estou me preparando muito bem mentalmente e fisicamente, então acho que isso é o resultado deste trabalho e estou muito feliz por ter dado tudo certo. Eu quero ser campeã sul-americana de novo, mas quero me divertir também, que é o mais importante”.

FAVORITISMO CONFIRMADO – A última final entrou no mar as 12h40min e o favoritismo foi confirmado com a vitória do atual campeão mundial Pro Junior, Mateus Herdy. Mas não foi fácil. O paulista Daniel Adisaka abriu bem a bateria  ao surfar forte uma direita, massacrada por várias batidas e rasgadas que valeram nota 6,50. O catarinense tentou dar um troco com um layback incrível, mas não completou, e Daniel ampliou a vantagem com o 5,25 da sua segunda onda.

Mateus arrancava as maiores notas do campeonato com aéreos e ficou tentando a manobra progressiva, mas sem completar. Ele então usou a borda numa esquerda para tirar 6,25 e diminuir para 5,51 a diferença. Logo pegou outra e dessa vez acertou o aéreo para assumir a dianteira com 5,75. Daniel passou a precisar de 5,50 e voou na finalização de uma onda, porém sem aterrissar. Com isso, a vitória do campeão mundial Pro Junior, Mateus Herdy, foi anunciada por uma pequena diferença, de 12,00 a 11,75 pontos.

Mateus festejou o título com a presença da vó no Dia das Mães. Foto: Pedro Monteiro/ND 

“Foi uma final muito difícil, porque o Danielzinho (Adisaka) estava surfando muito e começou bem a bateria”, destacou Mateus Herdy. “Estava difícil de achar ondas boas, mas deu tudo certo no final e consegui a vitória que eu vim buscar aqui. Eu achei uma esquerdinha boa ali para entrar na briga, porque o Daniel foi na primeira e ela sobrou pra mim. Depois, tive sorte em conseguir outra pra fazer um aéreo que acabou garantindo a vitória, mas foi uma bateria bem difícil. Acho que foi a recompensa pelos meus treinos, minha dedicação, então estou feliz e confiante também para os próximos eventos. Eu pretendo correr outras etapas para quem sabe conseguir mais um título sul-americano neste meu último ano de Pro Junior”.

RESULTADOS DO DOMINGO NA BARRA DA TIJUCA:
FINAL MASCULINA DO OI PRO JUNIOR SERIES:
Campeão: Mateus Herdy (BRA) por 12,00 pontos (6,25+5,75) – US$ 1.200 e 1.000 pontos
Vice-campeão: Daniel Adisaka (BRA) com 11,75 pontos (6,50+5,25) – US$ 600 e 750 pontos

SEMIFINAIS – 3º lugar com US$ 300 e 560 pontos:
1ª: Mateus Herdy (BRA) 13.85 x 6.50 Daniel Templar (BRA)
2ª: Daniel Adisaka (BRA) 11.65 x 7.25 Raul Rios (PER)

QUARTA FASE – 3º=5º (US$ 200 e 420 pts)/4º=7º lugar (US$ 100 e 395 pts):
1ª: 1-Mateus Herdy (BRA), 2-Daniel Templar (BRA), 3-Cauã Costa (BRA), 4-Luan Hanada (BRA)
2ª: 1-Daniel Adisaka (BRA), 2-Raul Rios (PER), 3-Fernando Junior (BRA), 4-Diego Aguiar (BRA)

FINAL FEMININA DO OI PRO JUNIOR SERIES:
Campeã: Tainá Hinckel (BRA) por 9,00 pontos (4,50+4,50) – US$ 1.200 e 1.000 pontos
Vice-campeã: Sol Aguirre (PER) com 7,50 pontos (4,25+3,25) – US$ 600 e 750 pontos

SEMIFINAIS – 3º lugar com US$ 300 e 560 pontos:
1ª: Sol Aguirre (PER) 10.85 x 5.90 Julia Camargo (BRA)
2ª: Tainá Hinckel (BRA) 8.15 x 7.00 Daniela Rosas (PER)

Mais conteúdo sobre

Surfe

Nenhum conteúdo encontrado