Chapecoense derrota Santos no Pacaembu e ‘respira’ no Brasileirão

Os desfalques pesaram e o Santos sofreu a segunda derrota seguida no Brasileirão, na noite desta segunda-feira. Jogando no Pacaembu, o time de Cuca foi surpreendido pela Chapecoense, pelo placar de 1 a 0, no encerramento da 33ª rodada. O triunfo fez a equipe catarinense voltar a respirar na zona de rebaixamento.

A Chapecoense entrou em campo na penúltima colocação da tabela. Mas o primeiro triunfo fora de casa neste Brasileirão levou o time aos 37 pontos, agora na 17ª posição, perto de deixar a zona da degola. O Sport, primeira equipe fora da zona do descenso, no 16º posto, tem a mesma pontuação.

Já o Santos perdeu a chance de se recuperar da derrota no clássico com o Palmeiras, na rodada passada. Estacionou nos 46 pontos e ocupa o oitavo posto, um ponto abaixo do G6, a zona de classificação para a próxima Copa Libertadores.

O time mandante voltou a tropeçar principalmente em razão dos seus sete desfalques, em razão de lesões, suspensões e fim de contrato. Todos os setores do time foram atingidos. E, dentro de campo, a equipe falhou na armação e no ataque. Nem mesmo a entrada de Rodrygo e Bruno Henrique no segundo tempo evitaram o tropeço.

O JOGO – No embalo de boas performances nas últimas rodadas, o Santos precisou colocar à prova o seu elenco nesta segunda e não passou no teste na etapa inicial. Os desfalques pesaram e, apesar de impor correria e intensidade nos primeiros minutos, a equipe mandante encontrou dificuldades em todos os setores.

As mais visíveis eram no ataque, sem Gabriel e Rodrygo. Eduardo Sasha e Copete até se esforçaram, mas não tinham entrosamento e inspiração para fazer a diferença em lances que já começavam mal na armação. A consequência é que o Santos só teve uma boa chance de gol na etapa inicial.

E foi logo no primeiro minuto de jogo. Derlis González investiu direita e cruzou rasteiro. A bola sofreu leve desvio de Douglas, o suficiente para tirar da jogada Copete, que viu a bola atravessar a pequena área quase em cima da linha. Em outra tentativa, de menor risco, Bryan Ruiz cobrou falta e Jandrei espalmou.

Do outro lado, a Chapecoense fez o seu papel de visitante. Segurou-se como pôde na defesa e fez investidas pontuais, sem correr maiores riscos. Em uma delas, aos 28, abriu o placar. Após cobrança de escanteio na área, o goleiro Vanderlei hesitou, não subiu e nem ficou no gol, e a bola sobrou para Leandro Pereira completar para o gol, sem qualquer marcação na pequena área.

Preocupado, o técnico Cuca resolveu colocar Rodrygo em campo no segundo tempo. A intenção inicial do treinador era poupar o jogador por conta de uma febre apresentada nos últimos dias. Mas o atacante foi a campo após o intervalo. Outra aposta foi Arthur Gomes, no lugar de Bryan Ruiz. Na sequência, trocou o inoperante Copete por Bruno Henrique.

As alterações deram nova cara ao ataque santista. O time ganhou em movimentação e presença no campo da Chapecoense. Mas as chances perigosas eram raras. Em uma delas, aos 28, Alison cruzou e Rodrygo, surgindo em velocidade na segunda trave, cabeceou para fora.

Daí em diante, o jogo se resumiu à pressão santista e à retranca dos visitantes, que tiveram mais sucesso em seus objetivos.

Na próxima rodada, o Santos vai enfrentar o Flamengo na quinta-feira, no Maracanã, no Rio. A Chapecoense, por sua vez, receberá no mesmo dia o Botafogo na Arena Condá, em Santa Catarina.

FICHA TÉCNICA:

SANTOS 0 x 1 CHAPECOENSE

SANTOS – Vanderlei; Daniel Guedes (Rodrygo), Alison, Gustavo Henrique e Dodô; Yuri, Carlos Sánchez e Bryan Ruiz (Arthur Gomez); Derlis González; Eduardo Sasha e Copete (Bruno Henrique). Técnico: Cuca.

CHAPECOENSE – Jandrei; Eduardo, Douglas, Fabrício Bruno e Bruno Pacheco; Amaral, Márcio Araújo, Canteros (Elicarlos) e Doffo (Vinicius); Wellington Paulista (Luiz Otávio) e Leandro Pereira. Técnico: Claudinei Oliveira.

GOL – Leandro Pereira, aos 28 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS – Alison, Yuri, Márcio Araújo.

ÁRBITRO – Rafael Traci (PR).

RENDA – R$ 334.014,50.

PÚBLICO – 10.792 pagantes (12.659 no total).

LOCAL – Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP).

Esportes

Chapecoense derrota o Santos no Pacaembu e “respira” no Brasileirão

Os desfalques pesaram e o Santos sofreu a segunda derrota seguida no Brasileirão, na noite desta segunda-feira. Jogando no Pacaembu, o time de Cuca foi surpreendido pela Chapecoense, pelo placar de 1 a 0, no encerramento da 33ª rodada. O triunfo fez a equipe catarinense voltar a respirar na zona de rebaixamento.

A Chapecoense entrou em campo na penúltima colocação da tabela. Mas o primeiro triunfo fora de casa neste Brasileirão levou o time aos 37 pontos, agora na 17ª posição, perto de deixar a zona da degola. O Sport, primeira equipe fora da zona do descenso, no 16º posto, tem a mesma pontuação.

Jogadores do Santos comemoram gol de Leandro Pereira - Ale Frata/Código 19/Estadão Conteúdo
Jogadores do Santos comemoram gol de Leandro Pereira – Ale Frata/Código 19/Estadão Conteúdo

Já o Santos perdeu a chance de se recuperar da derrota no clássico com o Palmeiras, na rodada passada. Estacionou nos 46 pontos e ocupa o oitavo posto, um ponto abaixo do G6, a zona de classificação para a próxima Copa Libertadores.

O time mandante voltou a tropeçar principalmente em razão dos seus sete desfalques, em razão de lesões, suspensões e fim de contrato. Todos os setores do time foram atingidos. E, dentro de campo, a equipe falhou na armação e no ataque. Nem mesmo a entrada de Rodrygo e Bruno Henrique no segundo tempo evitaram o tropeço.

O JOGO 

No embalo de boas performances nas últimas rodadas, o Santos precisou colocar à prova o seu elenco nesta segunda e não passou no teste na etapa inicial. Os desfalques pesaram e, apesar de impor correria e intensidade nos primeiros minutos, a equipe mandante encontrou dificuldades em todos os setores.

As mais visíveis eram no ataque, sem Gabriel e Rodrygo. Eduardo Sasha e Copete até se esforçaram, mas não tinham entrosamento e inspiração para fazer a diferença em lances que já começavam mal na armação. A consequência é que o Santos só teve uma boa chance de gol na etapa inicial.

E foi logo no primeiro minuto de jogo. Derlis González investiu direita e cruzou rasteiro. A bola sofreu leve desvio de Douglas, o suficiente para tirar da jogada Copete, que viu a bola atravessar a pequena área quase em cima da linha. Em outra tentativa, de menor risco, Bryan Ruiz cobrou falta e Jandrei espalmou.

Do outro lado, a Chapecoense fez o seu papel de visitante. Segurou-se como pôde na defesa e fez investidas pontuais, sem correr maiores riscos. Em uma delas, aos 28, abriu o placar. Após cobrança de escanteio na área, o goleiro Vanderlei hesitou, não subiu e nem ficou no gol, e a bola sobrou para Leandro Pereira completar para o gol, sem qualquer marcação na pequena área.

Preocupado, o técnico Cuca resolveu colocar Rodrygo em campo no segundo tempo. A intenção inicial do treinador era poupar o jogador por conta de uma febre apresentada nos últimos dias. Mas o atacante foi a campo após o intervalo. Outra aposta foi Arthur Gomes, no lugar de Bryan Ruiz. Na sequência, trocou o inoperante Copete por Bruno Henrique.

As alterações deram nova cara ao ataque santista. O time ganhou em movimentação e presença no campo da Chapecoense. Mas as chances perigosas eram raras. Em uma delas, aos 28, Alison cruzou e Rodrygo, surgindo em velocidade na segunda trave, cabeceou para fora.

Daí em diante, o jogo se resumiu à pressão santista e à retranca dos visitantes, que tiveram mais sucesso em seus objetivos.

Na próxima rodada, o Santos vai enfrentar o Flamengo na quinta-feira, no Maracanã, no Rio. A Chapecoense, por sua vez, receberá no mesmo dia o Botafogo na Arena Condá, em Santa Catarina.

 

FICHA TÉCNICA:

 

SANTOS 0 x 1 CHAPECOENSE

SANTOS – Vanderlei; Daniel Guedes (Rodrygo), Alison, Gustavo Henrique e Dodô; Yuri, Carlos Sánchez e Bryan Ruiz (Arthur Gomez); Derlis González; Eduardo Sasha e Copete (Bruno Henrique). Técnico: Cuca.

CHAPECOENSE – Jandrei; Eduardo, Douglas, Fabrício Bruno e Bruno Pacheco; Amaral, Márcio Araújo, Canteros (Elicarlos) e Doffo(Vinicius); Wellington Paulista (Luiz Otávio) e Leandro Pereira. Técnico: Claudinei Oliveira.

GOL – Leandro Pereira, aos 28 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS – Alison, Yuri, Márcio Araújo.

ÁRBITRO – Rafael Traci (PR).

RENDA – R$ 334.014,50.

PÚBLICO – 10.792 pagantes (12.659 no total).

LOCAL – Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP).

Mais conteúdo sobre

Futebol