Chapecoense só empata com o Metropolitano e perde a liderança do Campeonato Catarinense

 A Chapecoense ainda não conseguiu convencer o seu torcedor. Depois da vitória no sufoco contra o Marcílio Dias na estreia, o time ficou apenas no 0 a 0 contra o Metropolitano, neste domingo, no estádio do Sesi, em Blumenau, pela segunda rodada. Além de não construir o resultado, o time do técnico Claudinei Oliveira ainda viu o adversário crescer demais de produção no segundo tempo e acertar a trave do goleiro Ivan duas vezes, acordando a torcida.

Chapecoense e Metropolitano ficaram no 0 a 0 em Blumenau - Sindey Batista/divulgação Metropolitano/ND
Chapecoense e Metropolitano ficaram no 0 a 0 em Blumenau – Sindey Batista/divulgação Metropolitano/ND

O empate em Blumenau deixa a Chapecoense com quatro pontos, na terceira posição da classificação geral, atrás de Avaí, que também tem quatro, mas melhor saldo de gols (4 a 1), e o líder Figueirense, ainda com 100% de aproveitamento e seis pontos. Fechando o G4 está o Criciúma, com três pontos. Do outro lado, o Metropolitano segue na zona de rebaixamento, com apenas um ponto – o time foi goleado pelo Avaí na estreia por 4 a 0, em Florianópolis.

Com apenas cinco minutos, Marcos Vinícius trabalhou toda a jogada pela direita e cruzou na segunda trave para Roberto, que testou pela linha de fundo. Em resposta, no lance seguinte, Paulinho passou com facilidade por Alan Ruschel e cruzou na medida para Ari Moura, que também meteu a cabeça na bola, mas mandou na trave, explodindo a torcida da casa.

Lourency era quem mais buscava jogo pelo lado da Chapecoense, mas esbarrava na inoperância ofensiva dos companheiros. Para o Metropolitano, o caminho eram as bolas alçadas pelo alto, que deram trabalho para a marcação. Aos 37 minutos, Netinho cruzou na cabeça de Negueba, que ganhou pelo alto e testou à esquerda do goleiro Ivan.

No segundo tempo, a Chapecoense conseguiu crescer um pouco de produção, mas não o suficiente para vazar Igor. Com os espaços deixados, o Metropolitano arriscou mais o contragolpe e chegou com perigo. Aos cinco minutos, Trípodi recebeu um passe açucarado e ficou frente a frente com Ivan, mas o goleiro conseguiu abafar nos pés do atacante.

A oportunidade mais clara do jogo saiu dos pés de Ari, que vinha muito bem no segundo tempo. Aos 19 minutos, ele puxou o contra-ataque, carregou pelo meio e mandou uma bomba, com muita força, que explodiu na trave mais uma vez, assim como aconteceu no começo da partida.

Na terceira rodada, a Chapecoense vai enfrentar o Criciúma, nesta quarta-feira, às 21 horas, na Arena Condá, em Chapecó. O Metropolitano fará outro jogo diante da sua torcida, desta vez diante do Joinville, também nesta quarta, às 19 horas.

Futebol