Ciclista sobe Morro da Cruz 36 vezes para concluir desafio

Atualizado

Jefté Ribeiro, de 36 anos, marcou seu nome no Morro da Cruz, em Florianópolis. Ao menos no desafio do Everesting, que consiste em subir 8.848 metros, ou seja, a mesma altura do Monte Everest, a montanha mais alta do mundo, localizada entre o Nepal e a China. Para isso, ele precisou subir e descer o morro da Cruz pedalando 36 vezes.

Ciclista sobiu o Morro da Cruz 36 vezes para atingir a mesma altura que o Morro do Everest – Foto: Divulgação/Vinicius Leyser

Já realizado 44 vezes no Brasil e 4.315 pelo mundo, o desafio Everesting consiste em pedalar a altura do Monte Everest em apenas uma tentativa, ou seja, não pode dormir no meio da prova. Jefté, também conhecido como Mexicano, se preparou desde o início do ano para o feito.

Leia também: 

Preparação

Nos cálculos de Jefté seria necessário subir 33 vezes o Morro da Cruz para concluir a distância. Porém, ele resolveu fazer 36 subidas para garantir o sucesso da prova. Entre os treinos, Mexicano preparou três “ensaios” da prova.

O primeiro, foi subir 14 vezes, o segundo 16 e o terceiro 20. No entanto, o último teste foi realizado perto do meio-dia devido ao sol. Além disso, com a data de 16 de novembro de 2019 já em mente, ele sabia que possivelmente teria que enfrentar o sol. E enfrentou.

“No começo eu subia mais rápido para dar um adianto, mas o sol me quebrou e acabei dando uma decaída. No fim da tarde, o tempo amenizou um pouco e comecei a aproveitar. Agora que estou mais cansado, estou fazendo em 20 minutos e só aproveitando”, avaliou Mexicano, por volta das 18h, após concluir a subida 27ª.

Jefté Ribeiro, de 36 anos, subiu e desceu o Morro da Cruz 36 vezes para completar o desafio Everesting – Foto: Divulgação/Vinicius Leyser

Essa não é a primeira vez que o ciclista pedala caminhos longos. Ele já subiu quatro vezes o Morro da Igreja, na região Serrana do Estado, considerada a segunda mais alta de Santa Catarina com altura de 1.822 metros.

Como se não bastasse, subiu três vezes a Serra do Rio do Rastro, em Lauro Müller, no Sul do Estado, com altura de 1.421 metros e com aproximadamente 35 km de extensão.

“Eu gosto desses desafios. Conheci um amigo em Curitiba que pedalou a costa dos Estados Unidos em sete dias. Isso me motivou ainda mais para completar essa marca”, disse.

Durante a semana, ele pedala próximo de sua casa, no bairro Saco Grande, em Florianópolis, até Governador Celso Ramos, um trajeto de cerca de 30 km. Além disso, ele também participa do grupo de ciclistas do Nesse Morro Eu Não Morro, que sobe o Morro da Cruz toda quarta-feira.

A Serra do Rio do Rastro é adorada por praticantes de ciclismo e maratonistas – Foto: Divulgação

O desafio

O ciclista começou sua primeira subida às 5h40 para aproveitar o início do dia e pedalar com mais intensidade. Entre os intervalos, de cerca de 10 a 15 minutos entre as subidas e descidas, ele tomava água e comia algo que trouxe em seu carro.

Além disso, outros ciclistas que praticavam seu exercício aproveitavam para esperar por ele no mirante do Morro da Cruz para conversar um pouco, passar confiança e até trazer um cafezinho. Um desses apoiadores nesse seu desafio foi Alexandre Pawlusky, que também é ciclista.

“A gente veio acompanhando ele desde o período da manhã. Sempre que alguém sobe, manda uma foto, algum tipo de registro e a gente vai seguindo. Como eu pedalei na parte da manhã, consegui vir agora à tarde para trazer um café e dar um apoio, que é muito importante”, disse Alexandre.

Jefté sempre recebia o poio dos amigos durante o intervalo – Foto: Marcos Jordão/ND

A prova foi concluída por volta das 22h55, ou seja, foram 17 horas pedalando morro acima e morro abaixo. Ao todo, ele conseguiu chegar aos 9.805 metros de elevação, mais que o suficiente para garantir o seu nome como o primeiro a concluir o desafio Everesting no Morro da Cruz. Em quilômetros, ele pedalou o equivalente a 174,99 km, quase a mesma distância de Florianópolis a Joinville, que é de 186 km.

O desafio foi completado por volta das 22h55 – Foto: Divulgação/Vinicius Leyser

A prova

O objetivo do Mexicano foi de ser o primeiro ciclista a fazer o trajeto de 8.848 metros no Morro da Cruz, em Florianópolis. Ao todo, 4.315 ciclistas já conseguiram realizar o desafio com sucesso em outros pontos do mundo. No Brasil, somente 44 ciclistas estavam registrados no site do Everesting até o dia 16 de novembro.

O desafio Everesting não tem um tempo limite para a conclusão. Porém, deve ser realizado em uma única tentativa, ou seja, sem dormir. A prova deve ser concentrada apenas em um morro ou colina e em um trajeto único.

A corrida deve ser gravada em um dispositivo GPS, de preferência, que possua altímetro ou barômetro. No caso de falhas, é permitido o uso de celular. O envio é realizado no site do Everesting e, caso seja o primeiro, ficará registrado no hall da fama, uma forma de reconhecimento do esforço do ciclista.

Mais conteúdo sobre

Mais Esportes