Conteúdo por Gazeta Esportiva

Com Grêmio na cola, Diniz terá desafio de superar longo trabalho de Renato

O São Paulo começa a ver o Grêmio se aproximar na tabela do Campeonato Brasileiro. Quarto colocado, com 52 pontos, o Tricolor paulista só depende de si mesmo para garantir uma vaga direta à fase de grupos da Libertadores, entretanto, o consistente trabalho de Renato Portaluppi à frente do Tricolor gaúcho pode fazer tudo mudar nas rodadas finais.

Fernando Diniz está no comando do São Paulo há apenas nove jogos e, por isso, ainda não conseguiu implantar completamente a sua filosofia de jogo na equipe. A sequência de compromissos aos fins de semana e também às quartas ou quintas-feiras é outro fator que impede uma imersão maior do elenco às suas ideias.

Por outro lado, Renato Portaluppi está no comando do Grêmio há mais de três anos, sendo o treinador mais longevo do futebol brasileiro atualmente. No clube, conquistou Copa do Brasil, Libertadores, Recopa Sul-Americana e dois Campeonatos Gaúchos, entre outros títulos de menor expressão. Com o elenco na mão e ciente do que precisa fazer, a tarefa do comandante gremista em levar o time diretamente à fase de grupos do torneio continental pode não ser tão difícil assim.

Um fator que joga surpreendentemente a favor do Grêmio é a humilhação que o time sofreu para o Flamengo na semifinal da Libertadores. Depois de se despedir da competição sofrendo uma traumática goleada por 5 a 0, o Tricolor gaúcho rapidamente reagiu no Campeonato Brasileiro, vencendo os três últimos compromissos no Nacional, e vem demonstrando sede por mais resultados e atuações positivas.

Ainda não se sabe se São Paulo e Grêmio continuarão na quarta e quinta colocações, respectivamente, até a reta final do Campeonato Brasileiro, mas, caso isso aconteça, o duelo entre as duas equipes, marcado para a 36ª rodada, em Porto Alegre, tem tudo para dividir os holofotes com Palmeiras x Flamengo, ainda mais se o time de Jorge Jesus já estiver com o título assegurado.

Resta saber quem acabará assegurando a vaga direta à fase de grupos da Libertadores. De um lado, um elenco estrelado, com um novo treinador, disposto a implantar ideias modernas e tornar o time mais agressivo. Do outro, um grupo mais modesto, mas já acostumado com o trabalho de Renato Gaúcho, que goza da confiança absoluta de seus atletas.

Futebol