Com histórico positivo, como na Vila, Santos vai faturar mais no Pacaembu

Apesar do técnico Oswaldo de Oliveira reclamar que as finais do Paulistão serão "sem graça" por não serem disputadas em Itu e em Santos, capital também traz "bons ventos" ao Peixe

Divulgação

Apesar da blindagem promovida pelo técnico Oswaldo de Oliveira antes da final do Campeonato Paulista, alguns jogadores do Santos falaram durante a semana sobre a partida deste domingo, às 16h, contra o Ituano. No Pacaembu! O palco do compromisso, aliás, foi alvo de discussão entre diretores, atletas, torcedores e o próprio treinador, que sentenciou:

– Como Corinthians, Palmeiras e São Paulo não conseguiram chegar à decisão, minha preocupação é que haja uma concepção que o Santos também não deva chegar (ao título) – afirmou Oswaldo, muito insatisfeito com a decisão da FPF em tirar as partidas da Vila Belmiro, em Santos, e do Novelli Júnior, em Itu, e levar ambas para a capital.

Na teoria, a reclamação de Oswaldo faz sentido, já que a Vila Belmiro é um dos segredos do Peixe no Paulistão. Foram dez jogos dentro de casa (inclusive quartas e semifinal do Estadual), e dez vitórias. Dos 46 gols marcados em 17 partidas, 33 foram na Baixada, evidenciando uma invencibilidade que já dura desde abril de 2011 no Paulistão. A exaltada mística está mais viva do que nunca neste ano.

Apesar do discurso pessimista do treinador, que não esconde sua preferência pela Vila Belmiro, o Pacaembu também é uma casa querida pelo torcedor santista, que tem comemorado diversos títulos por lá nos últimos anos. Como a Libertadores de 2011, por exemplo. Ou o Paulistão de 2010.

Além disso, o Peixe pode ter um importante ganho de receita por mandar as finais no Pacaembu, mesmo tendo renda dividida com o Ituano nas duas partidas. Com 33.200 ingressos colocados à venda, e mesmo fazendo promoção de ingressos para sócios, a expectativa é arrecadar ao menos R$ 500 mil em cada jogo, superando as rendas normais da Vila Belmiro e contando com casa cheia para a decisão.

A partir deste domingo, na Vila Belmiro, o Santos tentará provar que não é um time “caseiro”, e que a final do Paulistão, mesmo no Pacaembu, pode ter “graça”, ao contrário do que espera Oswaldo de Oliveira. Reticente, mas animado.

– Estou preparado para coroar a campanha e não deixar tudo cair por terra nesta temporada.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Esportes

Loading...