Com pista top, São José reúne feras da patinação street neste sábado

Aéreos que desafiam a gravidade, adrenalina a todo vapor e muitas manobras radicais. Este deve ser o espírito do Go Roller Blading Contest, competição de patinação street que será realizada, neste sábado (4), na pista da avenida Beira-Mar de São José, considerada uma das melhores do país. Cerca de 40 competidores de quatro Estados já estão inscritos no campeonato, que é aberto ao público e promete muitas emoções a partir das 13h.

Pista de patinação - Flávio Tin/ ND

Diego Rachadel é um dos organizadores do Go Roller Blading Contest

– Flávio Tin/ ND

Com provas nas categorias iniciante, amador, feminino e profissional, a disputa será no sistema jam session: os patinadores entram na pista em grupos, e têm quatro voltas de 30 segundos para as manobras. Ao fim desse tempo, ou em caso de queda, entra o próximo atleta. Os competidores são avaliados por árbitros, que analisam pontos como dificuldade e consistência da manobra, postura e aproveitamento de pista. Vence quem conquistar as maiores notas.

“Tivemos duas etapas do Brasileiro aqui em São José, no ano passado e no começo deste ano, mas sentimos a necessidade de realizar um evento local para movimentar a cena da patinação street que é muito forte aqui na Grande Florianópolis”, afirmou Diego Rachadel, diretor técnico da modalidade street na Federação Catarinense de Hóquei e Patinação e organizador do Go Roller Blading Contest.

O patins street começou a ser praticado no Brasil nos anos 1990 e teve, inclusive, como um dos pioneiros o manezinho Jean Carlos Palha. Mas se naquela época faltavam pistas de alta performance e grandes eventos, hoje Santa Catarina se tornou o principal polo da modalidade no país.

“Quando eu comecei a patinar, o cenário da patinação aqui na Grande Florianópolis era muito underground. Hoje, temos a melhor pista do Sul e uma das melhores do país, que a a pista de São José, e a Federação tem todo um trabalho de formação de novos atletas também, que é muito legal para o esporte”, destacou Bruno Canali, manezinho que ficou em terceiro no Circuito Nacional no ano passado.

Pista em São José - Flávio Tin/ND

São José é um dos principais polos da patinação street no Brasil

– Flávio Tin/ND

Pista josefense atrai atletas de todo o país e recebeu elogios de francês tricampeão mundial

Reformada em 2016, a pista de São José é considerada uma das melhores do país para a patinação street por conta da ampla quantidade de obstáculos para manobras, inclusive um no formato de um arco-íris. Recentemente, o patinador francês Roman Abrate, três vezes campeão mundial, compartilhou nas redes sociais foto da pista josefense dizendo que queria conhecê-la.

A pista recebeu duas etapas do Brasileiro, no fim do ano passado e no início deste ano, e atrai atletas de todo o Brasil, como o paulista Felipe Zambardino, que já representou o Brasil nos X-Games e está de mudança para a Grande Florianópolis para ficar mais da pista. “Nesse último ano, São José, a região da Grande Florianópolis, está se tornando a Meca do patins street no Brasil. Nunca teve tanto patinador de street concentrado em uma cidade como aqui. Eu enxerguei isso, que aqui o mercado está maior e que dá para continuar vivendo do patins aqui, por isso estou me mudando para cá. E o campeonato é um momento único, na melhor pista do Brasil, na minha opinião, com chances para fazer grande manobras e dar um rolê legal”, revelou Zambardino.

Pista em São José - Flávio Tin/ ND

Paulista Felipe Zambardino já representou o Brasil no X-Games e está de mudança para São José – Flávio Tin/ ND

Esporte pra lá de radical

  • O patins street consiste em manobras de pista, como aéreos, e desafios urbanos, como descidas de corrimão.
  •  A modalidade é praticada no país desde os anos 1990, com a popularização dos patins in line e a fabricação de modelos próprios ao esporte, que têm rodas menores, bases alargadas para deslizar em quinas e botas mais reforçadas por causa do impacto das manobras.
  • Além do street, a patinação de competição tem as modalidades vertical (disputada na pista com formato de “U”), slalom (desvio de obstáculos), velocidade (provas de até 42 km) e artística (onde predomina o uso do patins quadrado). Há ainda dois estilos recreativos: urban (desafios na cidade) e fitnnes (passeio).
  • O patins street já reivindica participação em Olimpíadas como “demonstração”. O argumento principal é que nos Jogos de Inverno já tem patinação e que os Jogos tradicionais já se abriram aos esportes radicais, com a inclusão do skate e do surfe em Tóquio 2020.

Mais Esportes