Com promessa de transparência, nova diretoria do Figueirense é apresentada

O Figueirense apresentou na tarde desta quarta-feira (19) a sua nova diretoria e os planos para recuperar o clube da situação financeira delicada, além da montagem de um time competitivo para a próxima temporada. O presidente Cláudio Honigman deixou claro em suas primeiras palavras que o mais importante não era prometer títulos, mas fazer todos os esforços para que o time volte à Série A do Campeonato Brasileiro e lá se mantenha.

Com ele estarão à frente do Alvinegro Fernando Kleimmann, como diretor-executivo; Murilo Flores (diretor de planejamento e relações institucionais), Diogo Martins (diretor de administração e finanças), Fernandes (gerente de futebol), Bruno Ribeiro Cardoso (gerente de comunicação institucional) e Ronaldo Nascimento (gerente de comunicação para o futebol).

Diogo, Murilo, técnico Hemerson Maria, Cláudio Honigman, Fernando Kleimmann e Fernandes em coletiva nesta quarta, no Scarpelli - Diogo Maçaneiro/ND
Diogo Martins (à esq.), Murilo Flories, técnico Hemerson Maria, Cláudio Honigman, Fernando Kleimmann e Fernandes em coletiva nesta quarta, no Scarpelli – Diogo Maçaneiro/ND

“A nossa gestão é muito pé no chão. Muito focados em colocar as dívidas e o passado mal administrado do clube em dia. isso é um processo duro no começo, vai ser difícil, mas nós vamos trabalhar todos os dias para colocar esse clube no lugar onde ele merece. Nós não temos a menor dúvida de que isso vai acontecer em 2019”, disse Honigman logo na sua apresentação. Segundo ele, a partir de agora não se gasta mais do que se arrecada no Figueirense. Outra palavra repetida à exaustão por ele e os demais novos diretores é “transparência”. Sem citar nomes, diversas vezes houve críticas às gestões anteriores do Furacão.

De acordo com o diretor-executivo Fernando Kleimmann a redução no orçamento será drástica. No futebol deve chegar a 50% e nos demais setores do clube 30%. Ainda segundo o dirigente, a folha de pagamento dos jogadores sofrerá uma redução grande também. Em 2018, o valor chegou a R$1,2 milhão. Para o Campeonato Catarinense será de R$ 550 mil. “O importante é a gente saber que pode fazer isso para que a gente possa recuperar a nosa credibilidade, a confiança do torcedor, dos funcionários da imprensa… e por isso foi necessário esse choque de gestão”, afirmou. Esse método será o responsável por equilibrar as contas no médio prazo.

Salários de 80% dos funcionários e atletas serão colocados em dia ainda esse mês, de acordo com Kleimmann

Sobre os salários, as boas notícias chegam a partir da concretização de dois patrocinadores. Ambos renovados com valores maiores. “O que eu posso te garantir é que com os recursos que entram no começo da semana que vem com esses dois patrocínios a gente vai conseguir pagar uma parte dos salários atrasados dos funcionários e atletas. O importante é que os funcionários que ganham menos estarão 100% regularizados. Isso equivale a cerca de 80% dos funcionários”, comemora, Kleimmann, em entrevista ao ND após a cerimônia. Os demais casos serão chamados para uma renegociação no começo do ano que vem.

Dinheiro na conta também é sinônimo de reforços. O Figueirense deve anunciar até o dia 31 mais quatro reforços e existe a possbilidade de mais nomes pintarem até o dia 2 de janeiro, quando o grupo se reapresenta em Florianópolis, para o Campeonato Catarinense.

Acompanhe o pronunciamento da nova diretoria:

Futebol