Conceito e pulso firme: Cuca pode repetir história de rival no Santos

Cuca pode repetir histórico que teve no Palmeiras pelo Santos (Foto: Cesar Greco / Palmeiras)
Cuca pode repetir histórico que teve no Palmeiras pelo Santos (Foto: Cesar Greco / Palmeiras)

Depois de breve passagem em 2008, Cuca está de volta ao Santos com a missão de tirá-lo da zona de rebaixamento no Campeonato Brasileiro e conduzi-lo no mata-mata da Copa do Brasil e da Libertadores. O treinador de 55 anos é conhecido, além dos títulos, pela fama de ser supersticioso ( crer em presságios e sinais que leva a criar falsas obrigações) e pela coragem em suas decisões importantes à frente dos clubes. Mas o que esperar da segunda passagem pela Vila Belmiro?

Em busca de novos rumos após a passagem apagada de Jair Ventura, o Santos anunciou contrato de um ano e meio com Cuca, que não trabalhava desde outubro do ano passado, quando deixou o Palmeiras em meio às rodadas finais do Brasileirão. As duas passagens do técnico pelo rival, inclusive, dizem muito sobre necessidades do Peixe durante esta má fase e o perfil de profissional buscado pela diretoria no mercado.

“Pode vir quente que eu estou fervendo”

Cuca é identificado como uma pessoa de temperamento instável por quem viveu os bastidores do Palmeiras em meio às recentes passagens do treinador, entre março e dezembro de 2016 e maio e outubro do ano seguinte. É comum a variação da felicidade e empolgação para irritação e infelicidade com o entorno e as próprias decisões. As variações de humor são uma característica clara para quem trabalhou com ele. O que não atrapalhou o diretor de futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos, de chamá-lo de gênio e colocá-lo entre os melhores técnicos do Brasil em determinada ocasião.

Em 2016, por exemplo, Cuca teve uma briga com Rafael Marques no vestiário do Verdão, em jogo contra o Coritiba, pelo Brasileiro. O treinador fez cobranças duras ao atacante e o xingou na beira do gramado, o que gerou um confronto nos bastidores que teve que ser separado pelos jogadores para que não seguisse. Rafael já havia pedido ao comandante para que ele parasse de reclamar de maneira ofensiva, mas o técnico aumentou a intensidade dos xingamentos. No Santos, é constante o pedido por mais pulso por parte do treinador – isto fez com que Vanderlei Luxemburgo fosse fortemente considerado para a função por membros da diretoria.

Cuidado, Gabigol.

Outra situação que marcou a passagem de Cuca pelo Palmeiras foi sua coragem em tirar do time jogadores em quem não depositava confiança, ainda que alvos de grande investimento ou atenção. Felipe Melo e Borja foram alvos de afastamento do treinador, por exemplo. O primeiro foi devido a um desentendimento no vestiário e opção técnica. Já o segundo perdeu espaço para Deyverson, que Cuca bancava apesar de todas as críticas. Após sua saída do Palmeiras, Borja retomou a titularidade absoluta e rendeu bem no time.

No Santos há um exemplo de jogador badalado que não vive sua melhor fase. É Gabigol. Apesar dos 13 gols na temporada, o atacante foi substituído na derrota por 1 a 0 contra o América-MG e a torcida aplaudiu em comemoração à saída de campo. O jovem de 21 anos tem errado o último passe e desperdiçado chances claras. Baseado no histórico de Cuca, há chances de que ele perca a titularidade ou o status de intocável.

Ofensivo, ofensivo e ofensivo. No futebol.

Cuca é um técnico de característica ofensiva, que gosta de buscar inovar e investe em jogadas ensaiadas. No Palmeiras uma das mais marcantes foi a cobrança de lateral na área, que ganhou a alcunha pejorativa de “Cucabol”. O procedimento consiste em um jogador lançar a bola com força em cobrança de lateral, geralmente na área adversária. Criada a confusão é possível que saia um gol ou jogada perigosa. No Santos, o lateral-esquerdo Dodô já usa deste recurso em determinadas ocasiões, e isso pode ser reforçado a partir da chegada de Cuca.

Muito detalhista, o treinador é conhecido também pelo gosto por estudos de adversário e pensamento de plano do jogo de acordo com o outro time. Ele tem preferência por jogadores versáteis, que podem mudar de posição durante o jogo, e Rodrygo oferece este tipo de recurso. A joia funciona como ponta direita, esquerda e também recuado como um meia armador, por exemplo.

Com pulso firme, veto às estrelas e trabalho conceitual em campo, Cuca venceu um Campeonato Brasileiro pelo Palmeiras. O Santos contará com seus serviços a partir de agora. A estreia acontece nesta quarta-feira, às 19h30, pela ida das quartas de final da Copa do Brasil.

Mais conteúdo sobre

Esporte