Confusão no clássico: pena de volante cai para quatro jogos de suspensão

Atualizado

A procuradoria do TJD-SC (Tribunal de Justiça Desportiva de Santa Catarina) acatou o pedido do Avaí e concedeu a redução da pena do volante Bruno Silva de oito para quatro jogos.

Mesa de julgamento do recurso da confusão registrada no clássico. – Foto: Diogo de Souza/ND

A punição passa a valer imediatamente e o atleta, dessa forma, não estará a disposição do técnico Rodrigo Santana para o confronto diante do Tubarão, na segunda-feira (2), pela 7ª rodada do estadual.

Leia também

Se por um lado o jogador teve a pena arrefecida em campo, fora dele o atleta e o clube terão que cumprir algumas obrigações. O jogador terá que pagar 20 cestas básicas no valor total aproximado de R$10 mil. Essa quitação precisa ser feita em um prazo máximo de cinco dias úteis a contar da homologação da transição disciplinar.

O Avaí, clube do atleta, terá que publicar nota oficial em seu site, além de uma nota em edição de um jornal impresso de grande circulação.

Segue a nota

“O Avaí Futebol Clube repudia todas as condutas e atos de violência ocorridos na partida Figueirense x Avaí, no dia 02/02/2020, assumindo sua responsabilidade, e compromete-se a demandar esforços na busca de erradicar a violência nos estádios, dentro ou fora dos gramados.”

Mais detalhes da pena

A nota deve ser publicada, no jornal, em prazo máximo de dois dias úteis após a homologação da decisão. Em seu site o Avaí deve manter, na página inicial, por 15 dias. A publicação deve ser postada em intervalo de 24 horas após a homologação da transação disciplinar.

Outra questão que está designada é o destino das cestas básicas. Serão dez delas entregues no Asilo Irmão Joaquim, no Centro, em Florianópolis; e outras dez na Casa Lar Emaús, no bairro Santa Mônica, também na capital.

Procuradoria entende de “bom tamanho”

Apesar de ter visto a pena cair pela metade, a procuradoria do TJD-SC explicou que “a essa altura do campeonato” o resultado é positivo.

“Se fosse até o STJD, restando pouco mais de um mês de campeonato, correríamos o risco de ver essa punição acontecer, se for o caso, só no ano que vem”, explicou Rodrigo Bayer, o procurador.

Bruno Silva no julgamento da 2ª comissão disciplinar, no TJD-SC – Foto: Diogo de Souza/ND

Em contato com a reportagem do ND+, Bayer lembrou ainda ser melhor “que ele cumpra os quatro jogos imediatamente”.

A 2ª comissão disciplinar, na primeira instância do julgamento, havia entendido por um gancho de oito jogos de suspensão.

No pleno, apesar do desejo da procuradoria em aumentar a suspensão, ficou definido uma marca de seis jogos de ausência.

Para evitar um alargamento do processo junto a terceira instância, no STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) as partes acertaram a atual pena.

Mais conteúdo sobre

Futebol