Conteúdo por Gazeta Esportiva

Craques, milhões e elogios: o saldo da Copa América na Arena Corinthians

A Arena Corinthians terminou neste final de semana a sua participação em mais um grande evento sediado no Brasil, outra vez com saldo positivo. Depois de um semestre com o gramado sendo criticado até pelos jogadores do Corinthians, passou ilesa por críticas dos craques, recebeu elogios e ainda rendeu milhões em renda com as trêss partidas lá disputadas.

Foi jogado ali o embate entre Brasil e Peru, pela fase de grupos, que rendeu o maior número de gols (5 a 0), o maior público (42.317 pagantes) e atmosfera mais favorável à Seleção em meio às vaias recebidas tanto no estádio do Morumbi quanto na Arena Fonte Nova. Foi na ocasião, aliás, que houve o elogio mais claro e direto à qualidade do campo.

“Dei um abraço no Kiko, funcionário que cuida do campo, em outros, dei parabéns pelo gramado, que está um tapete. Disse que estava melhor do que quando estava aqui”, comentou o técnico Tite, que treinou o Corinthians por um ano e meio no local.

Lá jogaram grandes nomes do torneio, como os colombianos Sánchez e Vidal, os colombianos Cuadrado e James Rodríguez, e os argentinos Dybala, Aguero e Messi. Todos os citados criticaram ao menos um dos gramados em que tiveram de atuar durante o torneio, mas não teceram as mesmas queixas ao estádio em Itaquera.

Colômbia x Chile, pelas quartas de final, e Argentina x Chile, pela disputa do terceiro lugar, fecharam a conta para a arena corintiana. Foram mais de 40 mil pagantes em cada um dos duelos, totalizando cerca de 125 mil pessoas que pagaram para ver os jogos no local.

A renda total foi de R$ 26.161.080,00, uma média de R$ 8.720.360 por jogo, muito superior a qualquer um dos jogos disputados pelo Corinthians ali na temporada. A expectativa alvinegra, no começo do ano, era de lucrar R$ 2 milhões com o aluguel do estádio.

Copa América