Crianças de projeto da Udesc podem ganhar bolsa para jogar basquete em equipe da Itália

Passar quatro anos treinando na melhor equipe de basquete da Itália com todas as despesas pagas. Um sonho que pode virar realidade para jovens talentos catarinenses a partir de julho do ano que vem. No mês passado, o Instituto Baby Basquetebol Cidadania, projeto de extensão do Cefid (Centro de Ciências da Saúde e do Esporte), da Udesc, firmou uma parceria com a Benetton Basket, tradicional equipe da cidade italiana de Treviso, e se tornou a primeira filial do clube europeu na América do Sul.

Projeto foi criado em 2013 e usa metologia de norte-americana - Flávio Tin/ND
Projeto foi criado em 2013 e usa metologia de norte-americana – Flávio Tin/ND

O intercâmbio é voltado para atletas das categorias sub-12 e sub-13. Além da seleção dos melhores para bolsas de estudos de quatro anos, com direito à ajuda de custo para hospedagem e alimentação, o acordo também prevê fornecimento de uniformes de jogo e treino e de bolas, capacitação de professores e treinadores do projeto na Itália. “Conseguimos essa parceria através do pai de um aluno, o Marco Biscaro, que é italiano e foi técnico do Benatton na década de 90”, contou o professor e coordenador do projeto, Gilberto Vaz.

Com a metodologia da Score Basketball Academy, dos Estados Unidos, o Instituto Baby Basquetebol Cidadania iniciou as atividades em março de 2013 com apenas 15 crianças, gratuitamente. Hoje, são mais de 300 meninos e meninas de 4 a 14 anos em Florianópolis, São José e Blumenau. Em janeiro do ano passado, um grupo de 30 pessoas, entre alunos e membros da comissão técnica, viajou para Orlando, na Flórida, para treinar e jogar contra times de high school norte-americanos. “Esse período de treino nos EUA e a possibilidade dessa bolsa na Itália só nos motiva mais ainda para continuar treinando. Começar jogando profissionalmente já na Europa é um grande passo para jogar a NBA. Seria um sonho”, vislumbrou Caio Brandão, 12.

Outra grande parceria fechada pelo Instituto foi com a Interperformances, que agencia jogadores para NBA e já representou o ídolo brasileiro Oscar Schmidt quando ele jogou na Itália. Atualmente, a empresa agencia grandes nomes da NBA, como o argentino Emanuel Ginobili (San Antonio Spurs), Sacha Vujacic (New York Knicks) e Draymond Green (Golden State Warriors). 

 Instituto também foca em formar cidadãos

Mas para fazer parte do time do Instituto as regras são claras. É preciso ter notas acima da média, bom comportamento e dedicação aos treinos. “Aqui, mais do que formar atletas, nos preocupamos em formar bons cidadãos”, ressaltou Gilberto.

Há três anos, Victor do Rosário, 13, era um problema na escola e também para os pais. Mas por indicação do diretor do colégio, entrou para o projeto e mudou radicalmente de comportamento. “Eu era muito nervoso na escola, meio brigão, tirava notas baixas, até em casa, às vezes, eu respondia para os meus pais. E depois que vim para o projeto melhorei em tudo, agora só tenho notas acima da média, sou um bom aluno e um bom filho”, contou o aluno do colégio Almirante Carvalhal, em Coqueiros.  

Morador da Vila Aparecida, Victor foi um dos alunos que viajaram para os Estados Unidos com a ajuda do Instituto no ano passado. “Meus pais não tinham condições de pagar a viagem. Então, o professor Gilberto bancou tudo, comprou a passagem e ainda me deu dinheiro do bolso dele para eu gastar lá”, recordou Victor. “Se um dia eu for para a NBA vou ajudar meus pais a melhorarem de vida e ajudar todo mundo que me ajudou”, completou.

Mais conteúdo sobre

Mais Esportes