Crise no Figueirense: duas vitórias em 40 dias, declínio na B e incontáveis problemas

Há quem diga que os problemas financeiros do Figueirense vem há mais tempo, há anos, na verdade. Mas a crise, “dentro” do campo, explodiu no início de julho, às vésperas da final da Recopa Catarinense diante do Brusque, quando o grupo de jogadores optou por não concentrar em protesto aos salários atrasados. De lá para cá os dias no clube nunca mais foram os mesmos e, a maneira como transcorre, deixa um sentimento de dúvida de quando exatamente vai normalizar.

Leia mais

É uma espécie de linha do tempo. São cerca de 40 dias desde o primeiro movimento contra o atraso salarial no clube. Dentro de campo foram oito jogos com duas vitórias, quatro empates e duas derrotas (sendo que um triunfo culminou com o do título da Recopa, 1 a 0 sobre o Brusque).

Se o desempenho dentro das quatro linhas não chega a ser o melhor da temporada, fora dos gramados o cenário é caótico. Jogadores sem concentrar e sem treinar; saída de funcionários, saída de atletas até o ápice que foi o pedido de demissão de Hemerson Maria.

Grupo do Figueirense treina na tarde desta terça (13) no estádio Orlando Scarpelli – Diogo de Souza/ND

Apesar de toda essa turbulência, o volante Zé Antônio, que concedeu entrevista coletiva na tarde desta terça-feira, antes do treinamento, afirmou que nada do que foi registrado nessas últimas semanas foi contabilizado no desempenho da equipe.

“Até o momento não influenciou dentro de campo. Em alguns jogos fomos prejudicados e não foi por apatia nossa, foi má qualidade da arbitragem. Fomos prejudicados em vários jogos, mas não chegou ao ponto de estar influenciando dentro do campo”, falou o camisa 5 ao ser questionado sobre essa turbulência.

Linha do tempo alvinegra

03.07 – Às vésperas da final da recopa Catarinense contra o Brusque, elenco do Figueirense opta por não concentrar em função dos salários atrasados.

04.07 – Atletas se apresentam no dia do duelo e batem o Brusque pelo placar de 1 a 0. Festa e “crise” ofuscada.

12.07 – Ainda sem receber, atletas desembarcam em Minas Gerais para duelo contra o América.

13.07 – Vitória e goleada por 4 a 0 sobre o Coelho, pela 9ª rodada. Retorno com misto de satisfação em campo e incerteza fora dele. Foi a última vitória do Figueirense na temporada.

15.07 – Atletas, ainda sem receber, reapresentam-se e negam-se a ir ao treino.

16.07 – Clube acerta parte dos salários, mas jogadores, incertos sobre o futuro, repetem a postura e não treinam pelo segundo dia seguido.

16.07 – STJD notifica o Figueirense por impasse trabalhista com 105 funcionários a partir de atrasos de anos anteriores. Clube precisa apresentar solução em intervalo de 15 dias

17.07 – Jogadores e comissão técnica reúnem-se com a presidência e ouvem garantias de acerto de todos os salários. Treino acontece de maneira parcial após 50 minutos de reunião.

18.07 – Único treinamento “completo” da semana, às vésperas do duelo contra o Londrina

19.07 – Empate em 1 a 1 com o Londrina, diante do torcedor, que manifestou toda sua insatisfação contra a presidência do clube.

19.07 – “Tô de saco cheio”, limitou-se Hemerson Maria, após o duelo contra o time paranaense onde ele fez o seu grande desabafo sobre os problemas registrados até então.

20.07 – Apesar do treinamento ter sido retomado, as entrevistas coletivas estão suspensas no clube desde a “explosão” da crise, no início do mês.

23.07 – Figueirense é derrotado pelo Paraná em casa: 1 a 0.

25.07 – Veterano Antônio Lopes desembarca em Florianópolis para acertar com o Figueirense

27.07 – Criciúma x Figueirense empatam em 1 a 1 no Sul do Estado

27.07 – Hemerson Maria “chuta o balde” sobre a situação dos salários, cobra a presidência e fala em “wo” na partida seguinte,

28.07 – Atletas do Figueirense voltam a não treinar e cobram desfecho no impasse dos salários.

29.07 – Hemerson Maria pede demissão do clube alegando fim do “limite”. Atletas não treinam, mais uma vez.

30.07 – Figueirense 1 x 1 Vitória. Jogo é marcado por fortes protestos voltados contra a presidência e os conselhos do clube. Vinícius Eutrópio é anunciado como novo técnico.

31.07 – Presidente Cláudio Honigman, ao lado dos presidentes do conselhos do clube, falam em “novos tempos” e comunicam a manutenção da parceria

31.07 – Horas depois o clube apresenta Vinícius Eutrópio e Antônio Lopes

01.08 – Goleiro Denis confirma saída do Figueirense e fala em situação “insustentável”.

03.08 – Figueirense empata com o Vila Nova em 0 a 0 e chega ao seu 5º jogo sem vitória

10.08 – Figueirense perde para o Coritiba, em Curitiba (PR) e chega ao 6º jogo sem vitória

12.08 – Categorias de base ficam sem transporte e não treinam; jogadores confirmam não recebimento dos vencimentos referentes a julho. Mais dois funcionários conseguem saída do clube via Justiça do Trabalho por comprovarem o não recolhimento do FGTS.

Mais conteúdo sobre

Futebol