Defesa sólida: Figueirense passou metade dos jogos da temporada sem ser vazado

Atualizado

O Figueirense completou, na noite desta quinta-feira (4), seu 30º jogo na temporada. Esse número redondo, vitória por 1 a 0 sobre o Brusque, deu ao time a 13ª vitória na temporada e, como consequência, o título da Recopa Catarinense 2019. Há um outro dado nesse Figueirense 2019 que chama a atenção: a solidez defensiva do time de Hemerson Maria que fez a equipe sair de campo, pela 14ª vez, sem ser vazado.

Há uma expressão usada no futebol inglês, nascente da modalidade, denominada clean sheet (na tradução algo como folha em branco) que refere um time sair de campo sem sofrer gol.

Leia mais

O Figueirense, de Hemerson Maria, conseguiu essa proeza em 14 oportunidades. Só nessa Série B, por exemplo, das oito partidas disputadas pela equipe, em cinco ela não sofreu gols. O técnico alvinegro, desde sua chegada em Florianópolis, sempre deixou clara a sua preferência pelo ajuste defensivo para, depois, investir e aprimorar os demais setores.

Se o time ainda, por vezes, deixa a desejar no setor ofensivo, o setor defensivo vai muito bem. Em 30 jogos sofreu “apenas” 21 gols.

Em sua entrevista concedida após a vitória sobre o Brusque, o técnico Hemerson Maria voltou a valorizar a evolução da equipe que vem, de maneira disciplinada e aguerrida, conquistando os resultados e aumentando a produção no meio e no ataque.

“Um dado importante é que, hoje, completamos 30 jogos na temporada e em praticamente metade das partidas nós saímos de campo sem sofrer gols. Isso é um fator que é importante, principalmente em uma competição como a Série B. A organização e a transição defensiva são alicerces da equipe. Mas o Figueirense é um time que não abdica de jogar”, descreveu.

O avalista desse número

O sistema defensivo é composto, evidentemente, por mais de um nome. O futebol moderno defende que essa engrenagem começa pelos atacantes que, lá na frente, precisam dar o combate inicial.

Denis, goleiro do Figueirense, garantiu o empate do Furacão na estreia da Série B 2019 – Letícia Martins/Guarani Futebol Clube

É inegável, no entanto, que o goleiro carrega o estigma e a imagem de toda uma defesa. Denis, o camisa um do Figueirense, mais do que nunca ilustra essa consolidação. Presente em 100% dos jogos da equipe na temporada, está há um ano e meio no clube e já especula o seu nome no hall dos grandes goleiros da história do clube.

Ao final da partida contra o Brusque conquistou seu segundo título com a camiseta do clube e, após um período de altos e baixos, ostenta a condição de “incontestável” entre atletas, comissão técnica e torcedores. Aos 32 anos é um dos líderes do elenco dentro e fora de campo.

Futebol