Desafio de highline nas alturas acontece no domingo em Balneário Camboriú

Atletas tentarão superar o recorde brasileiro a mais de 130 metros

Na manhã de domingo (13), três homens vão tentar atravessar de um prédio ao outro na avenida Brasil, em Balneário Camboriú, utilizando as técnicas de highline, o slackline das alturas. Usando apenas o equilíbrio, eles vão estar a 130 metros de altura pisando em uma corda com largura de dois centímetros.

Divulgação

Atletas aproveitarão altura dos prédios da cidade para tentar completar o desafio

A aventura vai acontecer a partir das 8h na esquina com a rua 3300 e os materiais necessários para que ela aconteça estão sendo instalados desde quinta-feira (10), para fazer com que tudo aconteça com segurança. A distância entre um prédio e outro é de 82 metros.

Caio Salomão Amador é um dos três atletas de highline a participar do desafio. Ele conta que pratica o esporte há três anos e o objetivo é passar de um lugar para o outro, a uma distância bem longe do chão. Os três afirmam que estão com medo, mas esse é o motivo pelo qual eles vão realizar a façanha. Porém, todos eles têm bastante tempo de estudo e prática no assunto. A segurança dos participantes, tanto da montagem do equipamento quanto durante as tentativas de travessia serão realizadas pelos próprios atletas, que estudam a segurança nas alturas e aperfeiçoam constantemente os métodos aplicados.

Rafael Bridi também vai participar do desafio e conta que a ideia surgiu quando ele veio participar da gravação de um vídeo na cidade. Ao olhar a quantidade de prédios e seus variados tamanhos, ele percebeu a chance de fazer highline em uma altura inusitada. “Após um estudo na região da Barra Sul surgiu a ideia de estabelecer a linha entre os prédios Alexandria e o Four Seasons que ainda está em construção. Devido as características dos edifícios e a excelente posição em que estão localizados começamos os estudos e visitas ao local acompanhados pelos engenheiros da Embraed para estabelecermos um projeto com extrema segurança”, ressalta. Vinícius Goulart é o terceiro participante do desafio.

Divulgação

O Highline é o slackline das alturas

Essa travessia pode quebrar o recorde do atleta Gideão Melo que cruzou em julho desse ano 78 metros no Morro dos Cabritos, na cidade do Rio de Janeiro. Mas essa não é a principal motivação de Rafael para se equilibrar sobre uma estreita fita de slackline com 82 metros de comprimento. “Para alguns atletas o único objetivo é a travessia, superar um limite, quem sabe até quebrar um recorde. Com isso deixam de aproveitar cada passo da travessia. Eu busco aproveitar cada momento, fazer daquele caminho algo único”, comenta.

Anderson Santos é o arqueiro responsável por colocar a corda com o auxílio de um arco e flecha. Ele fez o serviço na tarde de quinta-feira. “Iremos utilizar a ancoragem fixa que é quando se faz um furo em uma laje, por exemplo, e se coloca um parafuso específico para isso. Para garantir a segurança será utilizada também a ancoragem química que é o uso de uma cola específica para garantir que apesar da pressão não seja possível o parafuso escapar”, esclarece o praticante de highline Rafael.

Para conectar os dois prontos é preciso levar a linha guia que será a referência para passar as outras cordas. O método mais prático nesse caso é o lançamento de um nylon com o auxílio de um arco e flecha, pois demanda menos tempo e não há perigo com relação à rede elétrica. O nylon será preso na flecha que será lançada por um atleta qualificado a uma distância aproximada de 95 metros a uma altura de 130 metros.

A segurança tanto da montagem do equipamento quanto durante as tentativas de travessia serão realizadas pelos próprios atletas que estudam segurança em alturas e aperfeiçoam constantemente os métodos aplicados. Além de Rafael devem fazer a travessia também os atletas Vinícius Goulart e Caio Salomão Amador.

Acesse e receba notícias de Balneário Camboriú e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo