Dois brasileiros avançam para as oitavas de final do Sydney Surf Pro, na Austrália

Atualizado

O potiguar Jadson André e o paulista Thiago Camarão foram os únicos sul-americanos que passaram para as oitavas de final do primeiro Challenger Series de 10.000 pontos do ano na Austrália.

Jadson André. Foto: Matt Dunbar/WSL 

Ambos se classificaram em segundo lugar nas baterias vencidas por australianos, que conquistaram a maioria das vagas (sete) disputadas na quinta-feira, em mais um dia de ondas pequenas de meio metro de altura em Manly Beach. Jadson vai enfrentar o japonês Shun Murakami na quarta bateria e Camarão disputará a penúltima vaga para as quartas de final do Sydney Surf Pro com o australiano Matt Banting.

Jadson André foi vice-campeão desta etapa no ano passado e quer tentar a vitória que escapou no ano passado, para o australiano já eliminado, Jordan Lawler. O potiguar competiu numa bateria de poucas ondas e ele foi o único a pegar três que abriram a parede para fazer duas a três manobras. Começou com nota 5,00, na seguinte ganhou 6,17 e a terceira valeu 6,70, para totalizar 12,87 pontos. O australiano Ethan Ewing só pegou duas e foi preciso na escolha, para vencer por 14,17 com notas 7,50 e 6,67. Já o havaiano Joshua Moniz não acertou os aéreos que tentou e ficou em último, com apenas 3,36 pontos nas duas notas.

O adversário de Jadson André nas oitavas de final é o japonês Shun Murakami, que venceu o confronto seguinte por 12,57 pontos. O havaiano Imaikalani Devault passou em segundo com 11,44, ambos eliminando o cearense Michael Rodrigues, que só conseguiu 10,60 pontos. Shun Murakami começou a temporada sendo campeão da primeira etapa, o QS 5000 da China. Ele liderou o ranking até a oitava etapa, o QS 5000 Oi Hang Loose Pro Contest em Fernando de Noronha, quando Wiggolly Dantas assumiu a ponta com o terceiro lugar no Brasil.

Mas, Wiggolly não passou da sua estreia nas duas etapas da Austrália e já perdeu a primeira posição para o norte-americano Nat Young. Na quinta-feira, mais dois surfistas ultrapassaram o brasileiro e o peruano Alonso Correa, que estava em segundo lugar. Shun Murakami já assumiu a vice-liderança e o australiano Matt Banting, adversário de Thiago Camarão nas oitavas de final, pulou do nono para o terceiro lugar com a classificação.

Thiago Camarão. Foto: Matt Dunbar/WSL/ND 

Matt Banting e Thiago Camarão avançaram nas baterias mais disputadas da quinta-feira, que definiram as últimas vagas para as oitavas de final. O peruano Lucca Mesinas, que está no grupo dos 10 indicados para o CT pelo ranking do WSL Qualifying Series, estava passando a bateria contra dois australianos até o último minuto. Até Reef Heazlewood conseguir 6,90 na última onda, para superá-lo por 12,83 a 12,37 pontos. Matt Banting venceu por 12,96 e Lucca Mesinas terminou em 17º lugar. No momento, o peruano é o sétimo do ranking.

O potiguar Jadson André chegou em Sydney em 24º e já aparece logo abaixo dele, dividindo a nona posição com mais dois classificados para as oitavas de final, os australianos Liam O´Brien e o próprio Reef Heazlewood. Eles estão fechando o G-10 do QS e o pernambucano Ian Gouveia, que estava em sétimo lugar, agora é o 12º e deve cair mais, pois Thiago Camarão já saltou do 43º para o 14º lugar, com a passagem para as oitavas de final.

Camarão achou algumas direitas que proporcionaram duas a três manobras fortes de frontside para consolidar sua classificação, se revezando na liderança com Ryan Callinan. O ataque do australiano era de backside nas direitas. Camarão conseguiu 6,50 e 5,23 para ficar na frente, mas o australiano retomou a ponta quando tirou 5,83 para somar com o 6,20 da primeira. Os dois ficaram pegando as melhores ondas e Deivid Silva não conseguiu acompanhar o ritmo.

Lucca Messinas. Foto: Ethan Smith/WSL/ND – 

Thiago Camarão surfou outra direita que rendeu uma batida e um aéreo rodando que valeram 7,77. Mas, Ryan respondeu atacando forte uma boa onda para receber 8,33 e se manter na ponta. DVD enfim consegue mostrar a força do seu backside em duas direitas nos minutos finais. A primeira valeu 7,03 e precisava de 7,25 na última, mas a nota saiu 6,73 e Deivid ficou em último com 13,76 pontos, contra 14,27 do Camarão e 14,53 do Callinan.

“Tenho consciência de que fiz uma boa bateria, mas os últimos minutos foram bem estressantes”, disse Thiago Camarão. “O Deivid é um surfista incrível e eu sabia que ele poderia conseguir a pontuação que precisava a qualquer momento, em qualquer onda. Então, foi definitivamente estressante esperar para ouvir as notas dele no final da bateria. Eu já disputei muitas baterias com ele e algumas com o Ryan (Callinan) antes, então sabia que ia ser muito difícil. Mas, já tinha derrotado eles, então sabia também que poderia fazer isso de novo e estou muito feliz por ter conseguido”.

Michael Rodrigues. Foto: Dunbar/WSL/ND –

DERROTAS SUL-AMERICANAS – Deivid Silva foi o quarto sul-americano a ser eliminado em 17º lugar no Sydney Surf Pro Challenger Series. Os outros que receberam 2.500 dólares de prêmio e marcaram 2.000 pontos no ranking, foram o cearense Michael Rodrigues, o peruano Lucca Mesinas e o uruguaio Marco Giorgi, o primeiro a cair no segundo confronto da quinta-feira em Manly Beach.

Depois de se destacar na quarta-feira com o segundo maior placar do dia, o uruguaio não conseguiu pegar as melhores ondas que entraram na bateria e foi batido pelo australiano Liam O´Brien e pelo novo líder do ranking, Nat Young. A melhor onda de Marco Giorgi foi a última que ele surfou e valeu 6,07. O australiano já tinha começado bem com nota 8,00 e na última ganhou 6,37, selando a vitória por 14,37 pontos. O californiano passou em segundo com 13,00 e o uruguaio terminou em terceiro lugar com 11,90 pontos.

Brisa Henessy. Foto: Matt Dunbar/WSL/ND

CHALLENGER FEMININO – Os homens foram os primeiros a competir na quinta-feira. Assim como no dia anterior, as baterias foram paralisadas no meio da manhã por causa da mudança da maré e só retornou as 13h30 na Austrália, 23h30 da quarta-feira no Brasil. Depois das duas últimas baterias da quarta fase masculina, foi a vez das meninas entrarem no mar em Manly Beach, para disputar as oitavas de final do Sydney Surf Pro Challenger Series.

As primeiras a se classificar foram as duas surfistas que estão encabeçando o WSL Qualifying Series no momento e elas agora irão se enfrentar na batalha pela primeira vaga nas semifinais. A costaricense Brisa Hennessy está na frente e terá um confronto direto com a vice-líder, a norte-americana Kirra Pinkerton, pelo primeiro lugar no ranking. Quem passar, vai pegar a vencedora do duelo da bicampeã mundial Tyler Wright com a havaiana Gabriela Ryan.

Na chave de baixo, que vai apontar a segunda finalista do primeiro Challenger Series do ano, a australiana Molly Picklum entra na terceira bateria com a espanhola Leticia Canales Bilbao. Depois, tem um clássico do CT na disputa pela última vaga para as semifinais, entre a tetracampeã mundial Carissa Moore e a australiana Bronte Macaulay, que vem de vitória no QS 5000 de Newcastle, encerrado no domingo passado.

O Sydney Surf Pro Challenger Series está sendo transmitido ao vivo de Manly Beach pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis da World Surf League. A primeira chamada da sexta-feira foi marcada para as 7h na Austrália, 17h da quinta-feira no Brasil.

OITAVAS DE FINAL DO SYDNEY SURF PRO CHALLENGER SERIES:
Derrota =9º lugar com US$ 3.250 e 3.500 pontos
1ª: Leonardo Fioravanti (ITA) x Nat Young (EUA)
2ª: Vasco Ribeiro (PRT) x Liam O´Brien (AUS)
3ª: Ethan Ewing (AUS) x Imaikalani Devault (HAV)
4ª: Jadson André (BRA) x Shun Murakami (JPN)
5ª: Jack Robinson (AUS) x Jacob Willcox (AUS)
6ª: Jorgann Couzinet (FRA) x Michael Dunphy (EUA)
7ª: Matt Banting (AUS) x Thiago Camarão (BRA)
8ª: Ryan Callinan (AUS) x Reef Heazlewood (AUS)

QUARTAS DE FINAL FEMININAS DO SYDNEY SURF PRO:
Derrota = 5º lugar com US$ 4.500 e 5.000 pontos
1ª: Brisa Hennessy (CRI) x Kirra Pinkerton (EUA)
2ª: Tyler Wright (AUS) x Gabriela Bryan (HAV)
3ª: Molly Picklum (AUS) x Leticia Canales Bilbao (ESP)
4ª: Carissa Moore (HAV) x Bronte Macaulay (AUS)

RESULTADOS DA QUINTA-FEIRA EM MANLY BEACH:
QUARTA FASE – 1º e 2º=Oitavas de Final/3º= 17º lugar (US$ 2.500 e 2.000 pts):
1ª: 1-Leonardo Fioravanti (ITA)=13.90, 2-Vasco Ribeiro (PRT)=11.83, 3-Charles Martin (FRA)=11.56
2ª: 1-Liam O´Brien (AUS)=14.37, 2-Nat Young (EUA)=13.00, 3-Marco Giorgi (URU)=11.90
3ª: 1-Ethan Ewing (AUS)=14.17, 2-Jadson André (BRA)=12.87, 3-Joshua Moniz (HAV)=3.36
4ª: 1-Shun Murakami (JPN)=12.57, 2-Imaikalani Devault (HAV)=11.44, 3-Michael Rodrigues (BRA)=10.60
5ª: 1-Jacob Willcox (AUS)=14.17, 2-Michael Dunphy (EUA)=11.20, 3-Cam Richards (EUA)=10.33
6ª: 1-Jorgann Couzinet (FRA)=11.60, 2-Jack Robinson (AUS)=11.13, 3-Jackson Baker (AUS)=10.83
7ª: 1-Matt Banting (AUS)=12.96, 2-Reef Heazlewood (AUS)=12.83, 3-Lucca Mesinas (PER)=12.37
8ª: 1-Ryan Callinan (AUS)=14.53, 2-Thiago Camarão (BRA)=14.27, 3-Deivid Silva (BRA)=13.76

OITAVAS DE FINAL FEMININAS – 9º lugar com US$ 3.250 e 3.500 pontos:
1ª: Kirra Pinkerton (EUA) 16.50 x 13.83 Sophie McCulloch (AUS)
2ª: Brisa Hennessy (CRI) 14.07 x 12.60 Keala Tomoda-Bannert (HAV)
3ª: Tyler Wright (AUS) 12.27 x 11.83 Macy Callaghan (AUS)
4ª: Gabriela Bryan (HAV) 14.27 x 13.03 Alyssa Spencer (EUA)
5ª: Leticia Canales Bilbao (ESP) 13.83 x 12.40 Johanne Defay (FRA)
6ª: Molly Picklum (AUS) 12.67 x 8.13 Meah Collins (EUA)
7ª: Carissa Moore (HAV) 15.76 x 12.43 Coco Ho (HAV)
8: Bronte Macaulay (AUS) 11.50 x 9.87 Mahina Maeda (JPN)

Para mais informações, visite WorldSurfLeague.com

Surfe