Conteúdo por Gazeta Esportiva

Eficiência ofensiva será chave do Santos contra rivais da parte de baixo da tabela

Em reta final de intertemporada antes da reestreia oficial na temporada, marcada para o próximo sábado, dia 13 de julho, contra o Bahia, o Santos terá uma missão até o fim do primeiro turno: fazer valer o alto índice de finalizações certas alcançadas até a pausa para a Copa América. Isso porque, até o fim do primeiro turno, o Peixe terá pela frente alguns dos piores times do Campeonato Brasileiro.

Dos 10 jogos que restam para os comandados de Jorge Sampaoli, cinco serão contra equipe que ocupam a segunda página da tabela de classificação. Dentro desses cinco compromissos, em três deles o Santos será mandante, ou seja, terá o apoio massivo de sua torcida nas arquibancadas a fim de empurrar a equipe rumo a um resultado positivo.

Adepto da filosofia de seu comandante, o Peixe é o time do Brasileiro que mais finaliza certo. Nas nove rodadas disputadas até o momento, o time da Baixada Santista acertou o alvo adversário 62 vezes, com uma média de quase sete arremates certos por jogo. O Flamengo, segundo time no quesito, finalizou 53 vezes, nove a menos que a equipe de Sampaoli.

O técnico argentino, no entanto, terá que lidar com um problema justamente no aspecto dos chutes. Isso porque dois de seus principais arrematadores até aqui não estarão à disposição para o segundo semestre: Rodrygo e Jean Lucas. Enquanto o primeiro foi negociado com o Real Madrid, o meio-campista emprestado pelo Flamengo acabou transferido para o Lyon, da França, em definitivo.

Outro ponto a ser ajustado por Sampaoli é a presença de área dos atacantes do Santos. Depois de solicitar por algum tempo a contratação de uma referência, o técnico recebeu o tão esperado “homem gol” com a contratação de Uribe, que tem se destacado nos treinamentos durante a intertemporada, rendido elogios do próprio comandante. No amistoso do último sábado, o colombiano marcou o gol do Peixe no empate com a Ponte Preta.

Futebol