Conteúdo por Gazeta Esportiva

Elenco do Corinthians vira alvo, ‘acusa o golpe’ e reação preocupa dirigentes

A pressão em cima de Fábio Carille alcançou um patamar inédito. Desde que se tornou técnico, o comandante corintiano nunca passou por um momento tão complicado no cargo. O próprio Carille admitiu a dificuldade na entrevista desta sexta. “Está sendo o primeiro momento (ruim) em dois anos e 11 meses como técnico, tenho que enfrentar, melhorar”.

A crise de resultados e principalmente de desempenho, porém, não está mais concentrada apenas na figura de Carille. A cobrança chegou aos jogadores por todos os lados, e o grupo sentiu, de acordo com apuração da Gazeta Esportiva.

As recentes entrevistas de Fábio Carille e Andrés Sanchez contribuíram para o momento de instabilidade dos jogadores. Em um curto período, presidente, técnico e torcedores miraram as críticas no elenco. A situação inédita abalou os atletas.

O elenco alvinegro se reuniu na quinta-feira, depois de Cássio, Ralf, Manoel, Gil, Fagner e Walter conversarem com oito integrantes da Gaviões da Fiel, a principal organizada do clube.

Apesar da experiência dos atletas escolhidos para o contato com os uniformizados, o tom mais forte de cobrança surpreendeu. Os membros da Gaviões praticamente exigiram uma mudança imediata de postura depois dos jogadores admitirem que não há nenhum problema com os salários. Aliás, os atletas em questão mais ouviram do que se manifestaram na ocasião.

Na sequência, o elenco do Corinthians se reuniu sem a presença de membros da comissão técnica. Houve uma conversa franca e a preocupação com a situação ficou evidente. Os jogadores admitiram a necessidade de melhora individual e coletiva.

Os mais experientes tomaram a palavra com o intuito de erguer o moral do grupo, mas perceberam abatimento entre os mais jovens.

A reflexão interna é de que algumas peças do time, como Carlos, Sornoza, Janderson, Mateus Vital e Clayson, não estão conseguindo evitar que a pressão interfira no rendimento.

O diretor de futebol Duílio Monteiro Alves já constatou a peculiaridade e tem tentado passar confiança aos jogadores nas últimas horas. Tanto Duílio quanto Edu Ferreira, Vilson e Emerson Sheik, outros dirigentes do clube, estão empenhados em não deixar que a cobrança mais atrapalhe do que ajude.

Para domingo, contra o Flamengo, no Maracanã, a reportagem apurou que há um sentimento de confiança muito grande dentro do Corinthians de que a resposta comportamental será boa. Há quem garanta que dessa vez as críticas foram assimiladas e que a postura, independente do placar no Rio, deve ser bem diferente da que o time tem apresentado nos últimos jogos.

Futebol