Em noite de reencontros, Figueirense recebe o Coritiba no Scarpelli

O Figueirense entra em campo nesta sexta-feira (8), às 21h30, contra o Coritiba em mais uma decisão na luta alvinegra contra o rebaixamento à Série C. Depois do empate sem gols com o Vila Nova, na última terça, o Furacão do Estreito tem mais uma oportunidade de, ao lado da sua torcida, somar três pontos e deixar o Z4.

Treinamento do Figueirense no estádio Orlando Scarpelli – Foto: Andrey Oliveira/FFC

A missão reservada para esta sexta-feira, em Florinaópolis (SC), não se desenha nada fácil. O Coxa é uma das principais grifes desta Série B e luta, rodada a rodada, para se consolidar no G4 rumo à Série A.

Leia também

Atualmente o time dirigido por Jorginho ocupa a 4ª colocação na competição e contabiliza três pontos de vantagem para o 5º colocado, o Paraná Clube.

O Figueirense, apesar da série invicta (sete jogos sem derrotas), vem de três empates consecutivos sendo que todos eles foram contra adversários da parte de baixo da tabela, os chamados confrontos diretos.

O último jogo, igualdade com o Vila Nova, gerou revolta dos torcedores presentes no estádio Orlando Scarpelli que vaiaram muito a equipe logo após o apito final.

Duelo marcado por reencontros

Figueirense e Coritiba têm uma série de coisas em comum e são muito mais ligados do que a posição geográfica indica.

Uma delas está na idolatria do goleiro: Wilson, que até pouco tempo estava no Coritiba – está no Atlético-MG – é ídolo no Figueirense e um dos atletas que mais vestiram o manto alvinegro. Em Curitiba, no Coxa Branca, não é diferente.

Curiosamente Wilson perdeu a titularidade para um outro goleiro, não menos identificado com o Figueirense: Alex, que angariou o apelido Muralha no Figueirense, é o camisa 1 do adversário e volta ao estádio Orlando Scarpelli quatro anos depois.

Alex Muralha, em treinamento pelo Figueirense – Foto: Marco Santiago/ND

E as coincidências não param por aí. Na casamata o técnico Jorginho também passou pelo estádio Orlando Scarpelli na temporada de 2011, onde levou o Furacão à sétima posição da Série A, na melhor participação alvinegra na elite do futebol nacional.

O lateral-esquerdo, Willian Matheus, é outra figura conhecida no bairro do Estreito. O jogador, camisa 6 do Coxa, é criado nas canteras do alvinegro onde passou pelo sub-17, sub-20 até o profissional.

Outro Matheus, o Sales, é volante e esteve em um período mais recente no clube já que vestiu a camisa do alvinegro na temporada passada onde atuou 23 vezes, anotou um gol e deu uma assistência.

A cota do “ex” ainda é completa com Rafael Lima, experiente zagueiro que é natural de Florianópolis e é outro jogador revelado no estádio Orlando Scarpelli. Rafael Lima está relacionado, mas deve ficar apenas como opção do técnico Jorginho que tem usado Nathan Ribeiro e Sabino como dupla de zaga.

Júlio Rusch, que não veio a Florianópolis, começou a temporada no Figueirense a pedido de Hemerson Maria. O atleta, no entanto, não se firmou e foi devolvido ao Coxa.

Algoz artilheiro

Quem retorna ao estádio Orlando Scarpelli, mais uma vez na condição de adversário, é o centroavante Rodrigão. O atleta, que ajudou o Avaí a subir à Série A do campeonato brasileiro em 2018, esteve no estádio Orlando Scarpelli e foi o autor do gol da vitória do Leão sobre o seu maior rival, ainda em duelo do primeiro turno.

Nesta Série B o centroavante, titular absoluto no time paranaense, é o vice-artilheiro com 13 gols marcados.

Rodrigão, com a camiseta do Avaí, vibra com gol sobre o Figueirense – Foto: Marco Santiago/ND

Ficha técnica

Figueirense: Pegorari; Luis Ricardo, Alemão, Ruan Renato (Pereira) e Conrado; Patrick, Betinho e Fellipe Mateus; Jefferson Renan, Rafael Marques e Breno. Técnico: Pintado.

Coritiba: Alex Muralha; Diogo Mateus, Sabino, Nathan e Willian Matheus; Serginho, Matheus Sales e Giovani; Juan Alano, Rodrigão e Robson. Técnico: Jorginho.

Local: estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis (SC). Data: 08/11/19. Hora: 21h30

Arbitragem: Alexandre Vargas Tavares de Jesus (RJ); auxiliado por Thiago Henrique Neto Corrêa Farinha (RJ) e Thiago Rosa de Oliveira (RJ).  

Futebol