Conteúdo por Gazeta Esportiva

Em tentativa de entrevistar japonês do Palmeiras, conterrâneos se impressionam com estrutura do clube

Não existe no Japão um clube de futebol com estrutura comparável à do Palmeiras, com sua Academia de Futebol. O jornalista japonês Yuski Sassaki está no Brasil para cobrir a seleção de seu país na Copa América e, com a passagem por São Paulo, tentou uma entrevista com Daiju Sasaki, o asiático das categorias de base do Verdão.

Acontece que o xará do periodista não foi autorizado pelo clube a conversar com a imprensa por estar de saída do Palestra. Daiju, meia-atacante do Sub-20 emprestado pelo Vissel Kobe, tem contrato apenas até o final deste mês e será devolvido.

No clube, aliás, Daiju Sassaki disputou apenas sete partidas, três pela Copa São Paulo de Futebol Júnior e quatro no Campeonato Paulista Sub-20, e nenhum gol marcado. Ele foi reserva quase sempre sob o comando do técnico da base, Wesley Carvalho.

O outro Sassaki, o jornalista, também quis aproveitar sua passagem pelo Palmeiras e conheceu toda a estrutura da Academia de Futebol. Em conversa com a reportagem, Yuski afirmou que nenhum clube do milenar país asiático tem uma estrutura sequer similar à usufruída pelos jogadores palestrinos.

A relação do Palmeiras com os japoneses, porém, não deve terminar. O clube segue com 30% dos direitos econômicos de Daiju Sassaki e manterá relações com Hiroshi Mikitani, empresário multibilionário e dono da Rakuten, maior patrocinadora do Barcelona.

Futebol