Atletas da ginástica rítmica de Joinville se destacam nos Jogos Escolares da Juventude

Destaque inquestionável da ginástica rítmica nos Jogos Escolares da Juventude, na etapa de 12 a 14 anos, em disputa da semana passada, em Londrina (PR), a ginasta joinvilense Mariany Miyamoto, 13, está entre as promessas da modalidade para representar a cidade em grandes competições. Se as Olimpíadas de 2016 não estão no horizonte em função da idade, não custa sonhar alto e já vislumbrar uma presença na seleção para os Jogos Olímpicos de 2020. Mariany estaria praticamente em casa na competição, a ser sediada em Tóquio, no Japão.

Luciano Moraes/ND

Amanda (à esquerda) e Mariany são as duas grandes promessas da ginástica rítmica de Joinville

“Acho que dá para pensar em 2020. A gente sempre pensa em conquistar bons resultados e quem está treinando como a gente não quer nunca baixar o nível”, comentou a atleta. Dedicada nos treinos e determinada diante dos desafios, Mariany já detinha credenciais importantes na categoria com os ouros conquistados em 2011, pelo Sulamericano na Venezuela, e em 2013, nas competições realizadas na Bolívia. Na edição 2013 dos Jogos Escolares, em Natal (RN), ela levou três bronzes e uma prata, desempenho que superou todas as expectativas neste ano no interior paranaense.

Além de faturar todos os quatro ouros em disputa – bola, fita, individual e equipe – a atleta foi coroada com o Prêmio Powerade pelo COB (Comitê Olímpico Brasileiro), um troféu que destaca a melhor atleta do torneio do meio de votação. Foi a primeira vez que uma competidora catarinense da categoria recebeu a distinção. Além da performance em quadra, a escolha levou em conta características da personalidade da garota. A técnica Vanessa Hagemann observou que o prêmio foi anunciado no sábado, antes das medalhas individuais conquistadas no dia seguinte.

“Esse resultado veio mostrar que ela pode muito mais. É o fruto do trabalho que fazemos aqui. A Mariany é uma ginasta muito boa e muito determinada e isso faz toda a diferença”, avaliou. Apesar do contentamento, Vanessa é cautelosa com as expectativas, principalmente em relação ao sonho olímpico. “Considerando a idade, outras atletas estão um passo mais à frente. Ela teria que se manter sempre no topo até 2020”, ressaltou.

Foco para compartilhar novas medalhas

Também campeã por equipe na delegação catarinense em Londrina, Amanda de Oliveira, 14, é outro destaque entre as ginastas da cidade. Vice-campeã na última edição dos Joguinhos Abertos de Santa Catarina, ela tem feito dobradinha com Mariany e se revezando nas conquistas da modalidade pelo Estado. “As pessoas estão olhando bastante para elas. São as duas grandes promessas de Joinville”, assegura a técnica.

Após os bons resultados dos últimos jogos, os treinos no Ginásio Municipal de Ginástica Rítmica visam agora à participação nos campeonatos Estadual, entre 19 e 20 de setembro, e Brasileiro, entre 8 e 12 e outubro, em São Luís (MA). Conforme Amanda, não vai faltar dedicação para ao menos ficar entre as finalistas no torneio nacional.

“Todas as atletas estão num nível muito bom, então é preciso criar um diferencial. Eu me cobro bastante. Sei que, com bastante treino e esforço, a gente pode conseguir”, argumentou. Vice no Brasileiro em 2013, mas disputando pela categoria infantil, Mariany quer voltar a fazer bonito, agora no juvenil, impulsionada pelo ouro em Londrina. “Agora é melhor para conseguir um bom resultado. A esperança é bastante grande de ganhar”.

Mais conteúdo sobre

Esporte