Conteúdo por Gazeta Esportiva

Empresa de limpeza e segurança da Arena cobra dívida do Corinthians

Atualizado

Em dia de Copa Sul-Americana, o Corinthians tem mais um motivo extracampo para se preocupar. Além de execução da dívida da Arena pela Caixa Econômica Federal, o alvinegro também foi processado pelo Tejofran, uma empresa de limpeza e segurança.

Segundo informações divulgadas pelo Globo Esporte, a Tejofran realizou serviços em Itaquera até agosto do ano passado e, no início deste mês, ingressou com uma ação na Justiça de São Paulo cobrando o valor de R$ 5,2 milhões. Esse montante seria referente a parcelas que a empresa deveria receber de fevereiro a agosto de 2018, além de multas.

Empresa que fazia serviços na Arena cobra R$ 5,2 milhões do clube na Justiça (Foto: Fernando Dantas/Gazeta Press)

No processo, a empresa revelou que tentou negociar com o Corinthians diversas vezes, mas alegou “total inércia” do clube para tentar resolver o problema. Um acordo anterior chegou a ser trazido à tona, mas como o time não pagou o valor devido até 3 de setembro, a Tejofran decidiu entrar com a ação.

O contrato entre as partes previa o pagamento de R$ 621.062,27 mensalmente à empresa, sendo que uma parte era para serviços de limpeza, conservação com coleta seletiva e bombeiro civil, e a outra parte era para segurança de patrimônio e vigilância.

Além desse problema, o Corinthians também tem imbróglios envolvendo a Caixa Econômica Federal e a Arena. Há a cobrança de um valor de multa de R$ 48,7 milhões pelo atraso nos pagamentos das parcelas referentes à dívida do estádio.

Dentro dos gramados, o Timão entra em campo nesta quarta-feira, às 21h30 (de Brasília), na Arena Corinthians, para enfrentar o Independiente del Valle, do Equador, pelo jogo de ida das semifinais da Copa Sul-Americana.

Futebol