Conteúdo por Gazeta Esportiva

Entenda a complexa situação de Jackson Porozo no Santos

Jackson Porozo é um entre vários jogadores do Santos à procura de espaço no elenco profissional. Mas a situação do zagueiro do time B é mais complexa.

Porozo tem 19 anos e é uma promessa do Equador, convocado inclusive para a seleção principal do país. E no Peixe, porém, ele mal treina no grupo principal.

Esse cenário faz com que seus representantes procurem opções fora do Brasil. E o presidente José Carlos Peres aposta no defensor e espera por uma chance com o técnico Jesualdo Ferreira.

O contrato de Jackson Porozo termina em dezembro de 2021 para o Santos e 8 de agosto de 2020 para os empresários. A diferença está em um “detalhe”: o visto de trabalho.

Há no acordo firmado uma cláusula de renovação automática de 8 de agosto de 2020 para 31 de dezembro de 2021. A extensão só depende do visto, documento necessário para estrangeiros e com validade de um ou dois anos.

Fernando Uribe, por exemplo, renovou o visto na semana passada e o contrato segue válido até 30 de junho de 2022. No Peixe ou em qualquer outro clube a expiração foi motivo para saída gratuita de atletas. E essa é a intenção de um dos agentes de Porozo.

Ulisses Jorge, representante do equatoriano há menos tempo, causou repercussão ao “anunciar a saída” em release enviado à imprensa nos últimos dias.

“O zagueiro equatoriano Jackson Porozo não renovará seu contrato com o Santos. O jogador de apenas 19 anos, que foi contratado em 2018, como grande promessa do futebol do Equador, mesmo se destacando nos treinos, não recebeu nenhuma chance na equipe principal do Peixe. No final da temporada de 2019, Porozo deixou claro o seu desejo de trocar de clube. É vontade do jogador não seguir no Santos e precisamos sempre buscar o melhor para o atleta”, falou Ulisses.

Daniel Manouchehri, agente de Jackson Porozo desde os 15 anos, adota discurso mais cauteloso.

“Não concordo em comentar de negociações até que estejam encerradas. Sempre vamos buscar o melhor para todas as partes. Porozo quer jogar em alto nível e tem todas as condições para ser um jogador de nível mundial. Em 2019 foi eleito pela Conmebol o melhor defensor central do Sul-Americano Sub-20. Foi terceiro colocado na Copa do Mundo Sub-20 e estreou pela seleção principal do Equador. Muitos clubes da Europa perguntam do Porozo e ele necessita um clube que ofereça condições de se desenvolver profissionalmente e pessoalmente. Isso pode ocorrer no Santos ou na Europa”, disse o empresário, à Gazeta Esportiva. 

Enquanto vê os discursos de duas empresas contratadas por Jackson Porozo e especulações sobre interesse de clubes italianos, o Santos nega qualquer proposta e ratifica o vínculo até dezembro de 2021, sem risco de perder o zagueiro de graça em agosto.

Em contato com o estafe de Porozo nos últimos dias, o Peixe pediu 6 milhões de euros (R$ 35,2 mi) para vendê-lo.

Opinião de um especialista

Rafael Cobra, sócio da Cobra & Gazolla Advocacia Desportiva e presidente da Comissão de Direito Desportivo da OAB Santos, vê razão para o Santos.

“Você nunca ouviu falar que um jogador ficou livre de um clube porque o visto expirou porque isso nunca aconteceu nem jamais acontecerá. O prazo válido é o do contrato de trabalho formulado com o atleta. Renovação de visto é mero ato administrativo em determinado país e é renovável, com comprovações de trabalho, endereço e tudo mais. Mera formalidade. Visto expirar jamais deixará o atleta livre para ir para outro clube, a não ser na hipótese teórica de que por razões exclusivas do clube o atleta fique impossibilitado de renovar visto e impedido de exercer seu trabalho, pedindo rescisão, que não me parece o caso mencionado”, explicou o doutor, à reportagem.

Futebol