Equipe de Florianópolis vai em busca de vaga no mundial de basquete 3×3, em São Paulo

Acontece neste fim de semana, em São Paulo (SP), o 4º Circuito Paulista de Basquete 3×3, no Parque da Juventude. O evento é a última etapa da competição que dará ao campeão, além de toda premiação e prestígio, a única vaga do Brasil para a disputa da edição da Cidade do México do Fiba 3×3 World Tour, em setembro. Florianópolis será representada pela equipe do NQS (Nós Que Somos).

Equipe de Floripa vai disputar competição em São Paulo - Divulgação ND
Equipe de Floripa vai disputar competição em São Paulo – Divulgação ND

São 78 times e cerca de 300 atletas desfilando habilidade na capital paulista. Na principal categoria da modalidade, a elite do 3×3, serão 13 equipes em busca da taça – e claro, em busca do passaporte. São quatro grupos com três equipes, onde todas se enfrentam dentro das chaves. Duas classificam em cada um deles e fazem o chaveamento a partir das quartas de final.

O NQS é 11º no ranking geral da competição e já se consolidou como a melhor equipe do Sul do país. Em março de 2018, em outra etapa, o NQS ficou com o vice-campeonato e o melhor resultado do basquete 3×3 catarinense. “A expectativa é que o time pegue corpo. Estamos indo para brigar pelo título e para disputar um campeonato mundial. Estamos focados e em busca de um grande resultado”, projetou o responsável técnico Rodrigo Trindade.

Florianópolis, por meio do NQS, será representada na etapa por Thiago Freitas, Adriano Garay, Adois Garay e Ricardo Costa (cada time pode inscrever um reserva). Trindade rasgou elogios à família Garay, com Adriano e Adonis, irmãos da campeã olímpica de vôlei nos jogos de Londres-2012, Fernanda Garay. O responsável técnico salienta a participação e a competitividade dos irmãos e salientou a presença de um atleta com 2,10 m. “Temos dentro da nossa equipe um jogador chamado Tiago Freitas, com mais de dois metros. Atualmente o melhor jogador da competição por média de pontos. É um jogador que promete muito e está sendo assediado por alguns clubes”, acrescentou o técnico.

O Brasil precisa ficar de olho em competições organizadas pela entidade Mundial, já que a classificação dos países para os Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020, será pelo ranking mundial da entidade.

Cerca de 250 milhões de adeptos

Você, leitor, pode até ter dúvidas, mas essa espécie de ramificação do basquete é considerada um dos esportes recreativos mais praticados do planeta. São mais de 250 milhões de jogadores espalhados pelo mundo.
Credenciado como modalidade olímpica – sua estreia será no Japão, daqui a dois anos -, o basquete 3×3 precisou trilhar uma longa estrada até se consolidar aos olhos do COI (Comitê Olímpico Internacional). Além da popularidade, o esporte passou por vários testes ao longo dos últimos dez anos até chegar ao nível máximo de fazer parte de um programa olímpico.
Entre os experimentos, o formato chegou a ser testado nos Jogos Asiáticos em Recinto Coberto de 2007, em Macau. Foi introduzido ainda nos Jogos Asiáticos da Juventude, em 2009, em Singapura; onde também fez a sua estreia competitiva em 2010, nas Olimpíadas da Juventude.

Mais conteúdo sobre

Esporte