Conteúdo por Gazeta Esportiva

“Euro-brasileiros” do Fla foram atalho para glórias em 2019

Contratado como grande reforço do Flamengo para o segundo semestre, Rafinha rapidamente se adaptou ao futebol brasileiro e pôde entrar para a história do clube com as conquistas do Brasileirão e Libertadores. Acompanhado de Gerson, Pablo Mari e Filipe Luís, o lateral-direito trouxe uma espécie de “euro-brasilidade” ao Rubro-Negro, característica vista por ele próprio como um dos trunfos para o time ter tido tanto sucesso neste ano.

“Estivemos mais de dez anos no futebol europeu e encontrar um treinador europeu aqui no Brasil facilitou muito para a gente. O trabalho do Mister [Jorge Jesus] é mais complicado, porque ele teve que implantar o sistema dele aqui no Brasil, mas foi ótimo, encurtou muito o caminho, porque o Flamengo trouxe quatro jogadores europeus, então acrescentou muito”, afirmou Rafinha.

Gerson é outra unanimidade no time do Flamengo de Jorge Jesus (Foto: Reprodução/Twitter)

“Muito feliz por esse prêmio individual, mas agradeço aos meus companheiros, porque o troféu também foi graças a eles. Muito feliz de voltar ao Brasil, para a minha casa, e ser eleito o melhor na minha função”, disse Gerson após ser premiado com a Bola de Prata na 50ª edição do Troféu Bola de Prata.

“Para mim, é uma honra. Sou flamenguista, estou jogando no meu time de coração. Consegui entrar para a história do Flamengo em tão pouco tempo. Para mim, é uma honra”, concluiu.

*Especial para a Gazeta Esportiva

Futebol