Conteúdo por Gazeta Esportiva

Arouca fala sobre retomada da carreira no Figueirense

Atualizado

Após dar uma pausa na carreira durante o ano de 2019, Arouca decidiu voltar aos gramados em 2020. Aos 33 anos, o volante aceitou a proposta de vestir a camisa do Figueirense e disputar, pela primeira vez na carreira, a Série B do Campeonato Brasileiro. Em entrevista exclusiva à Gazeta Esportiva, o atleta abriu o jogo sobre o período de inatividade e comentou sobre o novo desafio em Santa Catarina.

Arouca revela que decidiu se afastar dos gramados por problemas pessoais, mas que agora está motivado para vestir a camisa do Figueira: “Esse processo foi um momento que, até tinha conversado com a minha esposa, precisava de um tempo, por situações pessoais que eu passei. Precisava dar esse tempo. Lógico que não foi fácil, foi difícil, ver jogos, ver meus companheiros atuando. Mas Deus sabe o que faz, me entreguei bastante a Deus, coloquei na cabeça que eu iria voltar e Deus abriu essa porta no Figueirense. Tenho que agradecer ao clube e espero que seja um ano, mesmo com a paralisação, vencedor”.

Desde a assinatura do contrato em janeiro, Arouca teve poucas oportunidades para atuar. Afinal, após disputar cinco partidas, o futebol foi paralisado por conta da pandemia do coronavírus. Ainda assim, o jogador avalia de modo positivo o seu retorno.

“Muito tempo afastado do futebol, voltar a fazer o que eu mais amo e sempre soube fazer, isso para mim vem sendo fundamental. Voltar a alegria de poder estar em campo, jogar, isso vem sendo muito importante para mim. Infelizmente teve essa parada da quarentena, mas é especial, voltar a fazer o que mais ama, deixa a cabeça melhor, a auto-estima melhor. A gente espera que tudo se resolva o quanto antes para as coisas poderem voltar ao normal”, afirma o volante.

Outro assunto abordado pelo camisa 5 do Figueira foi a preparação física. O atleta aponta que apesar de não ter atuado em 2019, trabalhou para não perder seu condicionamento.

“Eu parei com o futebol, mas não parei de fazer as atividades. Eu fiquei o ano todo me preparando, para quando surgisse a oportunidade de voltar eu estivesse preparado para voltar, não estivesse totalmente no zero. Fiquei treinando com o Leandro Cardoso no Rio de Janeiro, que foi meu preparador físico no Atlético-MG. Treinava todos os dias”, disse Arouca.

Ver essa foto no Instagram

#TBT saudade que fala né 🤔!! ⚽️🌪⚫️⚪️ 📸 @r.pierrephotosoficial

Uma publicação compartilhada por Marcos Arouca da Silva (@oficialarouca5) em

“Treinava todos os dias, mas é claro que é diferente do que fazer uma atividade com todos os seus companheiros, com posse de bola, então dessa forma eu senti um pouco a diferença. Então nesse eu fiquei treinando essa parte, até porque a parte muscular estava boa e acaba sentindo menos”, completou.

Após passagens vitoriosas por diversos clubes do Brasil, Arouca aponta que se mantém motivado para jogar futebol. De acordo com o jogador, o objetivo é deixar seu nome marcado no Figueirense.

“Por onde eu fui eu sempre quis trabalhar, sempre quis batalhar para deixar meu nome marcado, espero que aqui no Figueirense não seja diferente quando voltarem os jogos, eu quero ajudar a equipe a voltar à elite do futebol brasileiro, quero marcar meu nome aqui, conquistar títulos, o carinho do torcedor e deixar meu nome marcado. Espero que depois desse momento difícil que o Brasil e o mundo está passando venha a alegria com o futebol”, concluiu.

Mais conteúdo sobre

Futebol