Figueirense evita nova penhora da renda do clássico contra o Avaí

O Figueirense teve que agir nos bastidores, mais uma vez, para evitar a penhora da renda do clássico contra o Avaí, marcado para esse domingo (27). Em uma nova ação trabalhista, a juíza Ana Letícia Moreira Rick assinou um despacho determinando o repasse de até R$80 mil para quitar mais uma dívida trabalhista do clube. A cobrança foi movida pelo ex-fisioterapeuta Giuliano Mannrich.

>>> Figueirense entra em acordo e penhora da renda do clássico é suspensa pela Justiça

Em contato com o clube, no entanto, o chefe de comunicação Bruno Ribeiro afirmou que, assim como o caso envolvendo o médico Sérgio Parucker, o Furacão conseguiu reverter o quadro e, dessa forma, não haverá a penhora. Bruno Ribeiro, contudo, não deu mais detalhes sobre o caso.

Na última quita-feira o Figueirense havia se “livrado” da sentença a partir da ação de Parucker. Em entrevista concedida ao ND, o diretor de planejamento, Murilo Flores, referiu-se ao caso como uma “bomba desarmada” pela direção. Admitiu também que “mais bombas como essa” poderiam surgir nas semanas seguintes.

O Figueirense, líder do Catarinense 2019 com três vitórias em três jogos, recebe o Avaí, vice-líder, a partir das 17h, no estádio Orlando Scarpelli.

Presença de público ainda é tímida no Orlando Scarpelli - Daniel Silva/ND
Orlando Scarpelli, estádio do Furacão – Daniel Silva/ND

Mais conteúdo sobre

Futebol