Escudo: Figueirense
FIG Figueirense
Escudo: Vila Nova
VIL Vila Nova
Estádio Orlando Scarpelli - 05/11/2019 às 20h30

Figueira não aproveita chance, só empata com o Vila e se complica na B

O Figueirense jogou pouco, não passou de um empate com o Vila Nova e se complicou na Série B 2019. Apesar da derrota do Londrina, mais cedo, para o Atlético, o Furacão do Estreito não soube aproveitar e se manteve no Z4 ao não sair de um 0 a 0.

Breno, do Figueirense, até tentou, mas não conseguiu furar o bloqueio do Vila Nova – Foto: Roberto Zacarias/Mafalda Press/Estadão Conteúdo

O jogo

Respaldado por uma sequência ainda não vista na Série B, o Figueirense chegou para o duelo diante do Vila Nova pronto para sair do Z4. Além de uma torcida paralela contra o Londrina em duelo diante do Atlético (GO) – que acabou se confirmando com a derrota dos paranaenses por 2 a 1 – o Furacão foi a campo com uma invencibilidade de seis jogos.

Do outro lado um adversário ainda mais desesperado na tabela, dono do pior ataque e apenas o 19º colocado.

Nada disso, no entanto, consolidou o jogo para o time da casa que, antes da bola rolar, já encarou suas primeiras dificuldades. Rafael Marques, que perdeu a sogra nesta terça-feira, foi liberado e se tornou um desfalque de última hora. Ele se juntou ao volante Betinho que, por precaução, foi vetado da partida.

Dentro do gramado outro elemento que impôs grandes dificuldades ao confronto, de uma maneira geral: o vento Sul que soprava no gramado do Orlando Scarpelli.

O Figueirense até começou o jogo a favor da “natureza” porém, embora sugerisse uma vantagem, mais atrapalhou do que ajudou já que gerou um festival de passe errado pelo lado alvinegro.

O Vila, mais preocupado em defender do que atacar, recolheu suas linhas no campo de defesa e esteve, ao longo dos primeiros 45 minutos, rebatendo bolas.

Segundo tempo igual

Na segunda etapa o panorama não mudou muito. Na verdade até piorou já que o Figueirense, claramente nervoso, passou a errar mais os lances. A torcida, que no início apoiava, passou a se impacientar a cada decisão equivocada dos jogadores.

O Vila Nova, que na primeira etapa ainda tentou alguma coisa no ataque na segunda parte do confronto abdicou completamente de atacar. A favor do vento o time de Itamar Schulle se encolheu atrás e, vez ou outra, apostou em chutes de longa distância onde todos saíram para longe do gol de Pegorari.

Apesar das tentativas do time da casa o placar não foi alterado. Muita vaia e muito protesto nas arquibancadas do estádio Orlando Scarpelli.

Próxima parada

O Figueirense já volta a campo nesta sexta-feira (8), mais uma vez no estádio Orlando Scarpelli, diante do Coritiba. Já o Vila Nova recebe o Operário, em Goiânia também na sexta-feira.

Ficha técnica

Figueirense: Pegorari; Luis Ricardo, Alemão, Ruan Renato e Conrado; Patrick, Tony (Victor Guilherme) e Fellipe Mateus; Jefferson Renan, Odilávio (Poffo) e Breno (Robertinho). Técnico: Pintado.

Vila Nova: Rafael Santos; Elivelton (Patrik), Wesley Matos e Diego Jussani; Tinga, Ramon, Romário (Erick) e Gastón; Gustavo Henrique e Capixaba (Mailson). Técnico: Itamar Schulle.

Cartões amarelos: Luis Ricardo, Victor Guilherme, Gustavo Poffo (FIG); Gastón, Tinga, Romário (VIL)

Arbitragem: Wanderson Alves Sousa (MG); auxiliado por Celso Luiz da Silva (MG) e Leandro Henrique Pereira (MG).

Local: estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis (SC). Data: 05/11

Público e renda: 5.536 pessoas para uma renda de R$89.610,00

Lances da partida

Futebol