Flamengo vence a Chapecoense e segue perseguindo o líder São Paulo

Jogadores do Flamengo comemoram a vitória sobre a Chapecoense (Foto: Magalhaes jr/Photopress)
Jogadores do Flamengo comemoram a vitória sobre a Chapecoense (Foto: Magalhaes jr/Photopress)

Aatuação não foi de encher os olhos, mas o Flamengo tem motivos de sobra para comemorar a vitória por 2 a 0 sobre a Chapecoense, neste sábado, no Maracanã. Além de manter o Rubro-Negro a cinco pontos de distância do líder São Paulo – que havia vencido o Bahia horas antes – o resultado traz de volta um pouco da confiança perdida nas últimas semanas em momento decisivo: na quarta, na semifinal da Copa do Brasil, o time de Barbieri recebe o Corinthians.

CHAPE ‘AMARRA’ OS PRIMEIROS MINUTOS

Os 25 minutos iniciais foram de dar sono no Maracanã. Além do péssimo gramado, o Fla teve pela frente um adversário retraído, aguardando só uma chance para contra-atacar. Desta forma, a partida seguiu sem grandes emoções e os dois goleiros pouco trabalharam. Uma bicicleta de Diego, por cima do gol, foi o único lance que levantou a arquibancada.

Aos poucos, o time de Barbieri foi ocupando o campo de ataque. Os meias não estavam em bom momento, com E. Ribeiro e Diego errando passes simples. A Chape, por sua vez, disputava cada bola. A partida seguiu muito truncada.

RENÊ ALIVIA A TENSÃO

A medida que o intervalo se aproximava e o placar seguia zerado, a torcida dava sinais de impaciência. Em bonito chute de pé direito de fora da área, Renê colocou o Fla na frente e aliviou a tensão no Maraca. A torcida voltou a apoiar e Diego – que participou do lance do gol – quase ampliou antes do intervalo.

VITÓRIA SEM SUSTO

O Rubro-Negro voltou com o mesmo ritmo para a etapa final e acuou a Chape, que, sem encontrar alternativa para atacar, não resistiu à pressão. Everton Ribeiro arriscou finalização de fora da área e Jandrei buscou no canto direito.

Quando Diego se preparou para cobrar falta perigosa, o Maraca já se levantou. A cobrança, porém, não teve como destino a rede, e sim o braço de Leandro Pereira. Pênalti marcado e convertido pelo próprio camisa 10 da Gávea. Na comemoração, o meia buscou e mostrou a camisa de Juan, fora da temporada.

O RETORNO DE BERRÍO

Com o jogo controlado e o resultado em mãos, a torcida do Flamengo pediu a entrada de Berrío. Maurício Barbieri atendeu e pôs o colombiano em campo aos 34 minutos. Recuperado de uma lesão no joelho esquerdo, em outubro, o atacante começa a retomar a confiança e passa a ser opção para o fim de ano.

Mais conteúdo sobre

Esporte