Conteúdo por Gazeta Esportiva

Fluminense terá desafio de reestruturar departamento de futebol

Mário Bittencourt é o presidente do Fluminense (Foto: Lucas Merçon/FFC)

O Fluminense conseguiu escapar do rebaixamento e de quebra arrancou uma vaga na Copa Sul-Americana. Agora, o grande desafio do presidente Mário Bittencourt será reestruturar o departamento de futebol, que sofreu um baque pela disputa política entre o mandatário e o vice-presidente de futebol Celso Barros, afastado do cargo no mês passado. Com esta função em aberto, Mário vai precisar definir os rumos para 2020.

Uma figura que continuará sendo central em todo o processo será o diretor de futebol Paulo Angioni. Foi ele quem conduziu o setor na ausência de Celso.

“Só tenho a agradecer o trabalho que o Anfioni fez. Um profissional com mais de quarenta anos de futebol e que soube conduzir com equilíbrio o departamento em um momento de extrema dificuldade”, disse Mário.

Fica a expectativa pela permanência ou não do técnico Marcão no cargo. A demissão dele foi o principal ponto de divergência entre Mário e Celso, pois o ex-vice-presidente de futebol defendia a chegada de um profissional mais experiente. A saída de Marcão é a possibilidade mais concreta, porém, o treinador acabou ganhando um pouco mais de prestígio por conseguir a vaga na Copa Sul-Americana.

A partir desta semana serão feitas reuniões diárias entre Paulo Angioni e Mário para definir o futuro. O elenco do Fluminense foi liberado tão logo a delegação retornou de São Paulo, após o triunfo por 2 a 1 sobre o Corinthians. No dia 6 de janeiro acontece a reapresentação e começa a preparação para a disputa do Campeonato Carioca. A estreia será na quarta-feira 22 contra a Cabofriense.

Mais Esportes