Fora da Seleção e em má fase, Damião encara abalo emocional no Santos

Atacante era apontado como nome certo nos últimos anos, mas não é convocado desde a Copa das Confederações. No Peixe, tenta superar jejum de 41 dias sem marcar

Divulgação

A seca de Leandro Damião completa, neste sábado, 41 dias. Titular em todos os 17 jogos com Oswaldo de Oliveira, ele marcou só cinco gols pelo Santos e é criticado há algum tempo pela torcida. Nesta semana, quando passou de novo em branco, desta vez contra o modesto Princesa do Solimões (AM), ele sentiu os efeitos da má fase. Seu nome, por muito tempo certo na Seleção Brasileira, ficou longe da lista de Felipão para a Copa do Mundo.

– Ele tinha expectativa de voltar e não voltou. Mas se cobra muito, sabe que camisa 9 tem que fazer gol. Então, há esse abalo psicológico. Não é um bom momento. E o primeiro grande abalo dele foi ficar fora da Copa das Confederações por lesão, em 2013. Mas sempre digo que ele é novo, tem idade para jogar a próxima Copa do Mundo e condições de fazer parte da lista já depois dessa Copa. São só cinco meses como jogador do Santos! – reflete Vinicius Prates, seu empresário.

Também nesta semana, o agente teve trabalho com sondagens internacionais. O jornal espanhol “As” noticiou que o Atlético de Madrid deseja Damião para a vaga de Diego Costa, que deve ir para o Chelsea (ING). Apesar de o presidente do Santos, Odílio Rodrigues, negar, o L!Net apurou que o Peixe tem conhecimento dessa sondagem espanhola, mas não libera por menos de 15 milhões de euros (R$ 45 milhões). Como não há negócio por valor inferior àquele pago com auxílio do fundo Doyen Sports, Damião segue no elenco do Peixe.

– Mesmo jovem, ele é um dos maiores goleadores da história do Inter, fez 40 gols em 2011, e ficou a um de ser o maior da história do Brasil em Olimpíadas. Você acha que esse cara desaprendeu? A cobrança é em cima dos valores, mas outros clubes queriam pagar até mais. Dou segurança que o Leandro vai estar voando depois da Copa, adaptado e fazendo gols – confia o agente.

Até lá, a torcida alvinegra não dá sinais de trégua a Damião, que diz se esforçar, mas não esconde o abatimento nas entrevistas pós-jogo. Os companheiros dão suporte para o jogador não se desmotivar mesmo fora da Copa do Mundo e vivendo péssima fase técnica. A paciência dura até a Copa do Mundo?

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Esportes

Loading...