Conteúdo por Gazeta Esportiva

Gareca ouve dura crítica após goleada e responde: “Não perdemos para qualquer um”

O técnico Ricardo Gareca ouviu uma dura crítica na tarde deste sábado, após a sua seleção do Peru ser goleada por 5 a 0 pelo Brasil, na Arena Corinthians, em jogo válido pela terceira rodada do Grupo A da Copa América. Sereno ao ouvir um jornalista chamar de vergonhosa a atuação dos andinos diante dos donos da casa, o argentino manteve a serenidade e fez questão de exaltar o desempenho dos comandados de Tite.

“Não estou aqui para fazer uma pergunta, mas comentar o que eu vi. Foi uma derrota vergonhosa”, disse o jornalista, ouvido com calma por Gareca enquanto citava a ida de vários peruanos ao estádio e o golpe sofrido por eles ao ver a atuação apática da equipe. O treinador, sem alterar a voz, explicou o que pensa.

“O que eu posso dizer se você fez uma análise do jogo? Para que eu vou responder? Se você fizesse uma pergunta, eu responderia. Acabo de dizer que eu sou o máximo responsável”, analisou Gareca, que passou pelo Palmeiras em 2014, fazendo questão de exaltar a capacidade dos brasileiros.

“Não perdemos para qualquer um. Nos venceu uma grande seleção, que superou a nossa equipe em todos os aspectos”, avaliou o treinador. Durante as respostas dadas à imprensa, ele admitiu a dor pelo revés sofrido, o pior da sua carreira, segundo ele próprio. “Havia perdido jogando a segunda divisão da Argentina. Uma vez, com o Independiente, tomamos 5 a 2. Mas nunca antes me havia ocorrido isso”, assegurou.

À espera de uma definição a respeito da classificação à próxima fase, que depende dos resultados de outros grupos, ele pediu que as pessoas se lembrassem do que o trabalho já proporcionou aos peruanos. Foi com Gareca, por exemplo, que o Peru voltou a disputar uma Copa, no ano passado, na Rússia, 36 anos depois da última aparição.

“É essencial que as pessoas esfriem a cabeça. Admito a responsabilidade, depois as análises, as correções, tem que ser mais frio. Para muitos, uma derrota vergonhosa. Mas, no futebol, deixamos tudo. Todos nós demos mais satisfação do que vergonha, esse grupo que está aqui. Eu considero uma parte do futebol, a superioridade que uma seleção demonstrou frente a outra. Isso vai acontecer novamente? Não sei. Aconteceu hoje. Nos dói na alma, me dói que tenha acontecido conosco”, concluiu.

Copa América