Conteúdo por Gazeta Esportiva

Gareca: vitória justa do Brasil e críticas a Messi e modus operandi do VAR

Atualizado

Ricardo Gareca foi parabenizado por muitos jornalistas peruanos antes de ter de responder as questões em sua última entrevista coletiva da Copa América. Apesar do revés para o Brasil no Maracanã, a sensação deixada pelo trabalho do treinador argentino foi positiva aos peruanos.

“Creio que o mais importante é que damos conta que nós ficamos emocionados. Termos de seguir insistindo, sabemos que somos uma seleção que chegou por mérito próprio à final. Nesse aspecto, acho que é uma constante superação. Tínhamos a expectativa de ganhar, mas pegamos uma seleção muito efetiva”, comentou.

“Creio que estamos bem. Apesar da derrota, a sensação é de que estamos em um bom caminho, independente do resultado adverso. Podemos melhorar e vamos por um bom caminho, um pouco de cada vez”.

O comandante peruano também admitiu a superioridade do Brasil na final e evitou tirar o mérito do título brasileiro.

“Acho que foi justo o Brasil ter ganho, sim. Nós melhoramos em relação ao jogo anterior, tivemos nosso momento, acho que eles aproveitaram muito bem as oportunidades. O que acredito que é temos de continuar nos superando. Somos uma seleção que melhorou e vai melhorando”.

Sobre o pênalti anotado nos minutos finais em cima de Everton e convertido por Richarlison, Gareca preferiu não entrar em polêmica, mas, aproveitou para externar seu sentimento sobre o VAR como um todo.

“O pênalti eu não sei, não saberia dizer, estou tão longe… Tenho informações diversas, não poderia te dizer. De modo geral, na minha carreira, arbitragem já me favoreceu e em outros momentos me prejudicou”, minimizou.

“Seria importante que as pessoas soubessem o que é analisado. É algo muito privado e aí, sim, fica a suspeita. Hoje em dia ter uma conversa privada, isso sim tem de ser revisto”, disse, antes de seguir no assunto em uma pergunta à frente.

“Qual é a intenção? Trazer tansparencia. Então, vão ter de encontrar uma metodologia que não seja numa sala privada e que ninguém veja nada. Quando tivermos acesso, não será ruim. Isso está sendo feito com a intenção de melhorar, não piorar. Não quero ser negativo sobre isso, quero acreditar que as coisas estão sendo feitas para uma melhoria. Erros cometemos todos nós”.

Sobre a declaração de Lionel Messi de que a Conmebol é corrupta e a Copa América estava comprada para o Brasil ser campeão, o técnico do Peru, que é argentino, não deixou a razão de lado e foi de encontro com o camisa 10.

“Respeito muito o Messi, mas isso não significa que eu concorde com ele”, afirmou. “Para falar de corrupção tem de existir a prova contundente. Isso é um jogo, cometemos erros. Fomos muito sólidos, ganhou quem tinha de ganhar, nem tudo é assim. Respeito, não vou entrar em polêmica, mas sou sul-americano. Temos de melhorar, vamos ficar de olho na corrupção, queremos fazer melhor, mas tudo lá fora não é o melhor”, concluiu.

 

Copa América