Geninho exalta semana “livre”, mas não vê vantagem para a final contra a Chapecoense

Atualizado

“Graças a Deus uma semana livre”. Foi uma das primeiras frases do técnico Geninho na entrevista coletiva concedida após a classificação suada do último domingo, vitória por 4 a 2 nos pênaltis, após empate em 1 a 1 com o Criciúma. O elenco azurra ganhou folga nessa segunda-feira e, de acordo com o comandante, terá o transcorrer dos dias para descansar e recuperar o elenco. O Avaí volta a campo no domingo (21), contra a Chapecoense, na grande final do Catarinense 2019.

Geninho, técnico do Avaí – Marco Santiago/ND

Via de regra todo o treinador brasileiro ‘sonha’ com semana livre para trabalhar o grupo de jogadores. Nesse caso específico o treinador enfatizou o período livre não para o trabalho e sim para o descanso.

“Temos uma semana, graças a Deus temos uma semana, para poder recuperar os jogadores, olha o que eu estou falando, não é para trabalhar, é para recuperar jogadores, torcer para que alguns do departamento médico cheguem, para que a gente tenha um time mais inteiro”, explicou Geninho.

Antes da bola rolar o técnico perdeu o lateral-direito Iury que foi vetado por um desconforto. Daniel Amorim, artilheiro do campeonato com nove gols, precisou sair antes do término do jogo também por um problema. Geninho revelou ainda que Lourenço, que atuou improvisado, também foi para o jogo no sacrifício.

O meia Gegê, que voltou ao time depois de mais de um mês, atuou por cerca de 25 minutos e, para o próximo jogo, terá condições de um pouco mais que isso. Jones Carioca está treinando e pode ser alternativa. Alex Silva e Douglas, por outro lado, ainda seguem de fora.

O grupo se reapresenta na tarde desta terça-feira e treina a partir das 16h.

Se o técnico Geninho celebra a semana cheia para descansar, o adversário da final terá, inevitavelmente, um desgaste. Recebe, em Chapecó, o Corinthians, na primeira partida da quarta fase da Copa do Brasil.

Futebol