Conteúdo por Gazeta Esportiva

Gil 2020: Novo desafio no Corinthians coloca técnica e experiência à prova

Gil fez parte de uma das defesas mais sólidas e respeitadas do Corinthians, em 2015. Foi campeão Brasileiro, entrou para a história do clube, chegou à Seleção Brasileira e conseguiu um contrato milionário na China. Agora, aos 32 anos, o zagueiro se vê desafiado pelas exigências de Tiago Nunes.

Gil tem um gol na temporada, anotado contra o Novorizontino

O técnico abriu mão de um volante de contensão, deu liberdade ao lateral Fagner e colocou os zagueiros mais adiantados em campo. Isso significa muitos momentos de exposição e confrontos individuais, no famoso mano a mano, no setor defensivo.

Para jogar assim e não comprometer, Gil está tendo de usar toda sua técnica, experiência e até a credibilidade perante aos torcedores para se manter bem e suportar algumas críticas.

Gil também terá de se reinventar em outros aspectos. Acostumado a jogar pela esquerda, o camisa 4 passou a ser posicionado pela direita para que possa participar mais da saída de bola com o ‘pé bom’ junto a laterais e pontas que atuam por aquele lado.

O Corinthians sofreu 11 gols em 11 jogos. Só não levou gols nos clássicos com Santos e São Paulo. A defesa até se comporta bem. Cássio, por exemplo, tem média de 1.7 defesas simples por jogo no Campeonato Paulista. O problema é que o Timão é o segundo que menos exige acertos dos adversários para levar um gol.

Individualmente, no recorte do Paulistão, segundo o Footstats, Gil é apenas o 12º jogador da equipe que mais desarma, com média de 0.7 por jogo. Em compensação, é o líder no ranking de rebatidas, com média de seis por jogo e o 2º que mais troca passes, com média de 59.9 e um aproveitamento de 96.3%. Apesar da função, o zagueiro tem média de apenas 0.6 faltas cometidas, o que lhe coloca em 11º neste quesito, dentro do elenco.

Na Libertadores, nos dois jogos somados contra o Guaraní-PAR, Gil foi o 5º atleta corintiano que mais deu passes, com média de 41.5 e 94% de acerto, o 8º em desarmes, apenas 2 no total, e o 1º em rebatidas, com 8.

Acostumado a jogar em uma situação mais confortável, bem protegido e sem tanta responsabilidade com a bola nos pés, Gil teve de sair de uma zona de conforto. Ainda assim, é um dos líderes do elenco alvinegro e tem muita confiança depositada no seu futebol, tanto entre os torcedores quanto internamente, no clube.

GIL

Jogos pelo Corinthians: 232

Títulos: 2

Campeonato Brasileiro (2015) e Recopa Sul-Americana (2013)

Em 2020:

Jogos: 11

3 vitórias; 3 derrotas; 5 empates.

Gol: 1

Cartões: 0

Desarmes: 8

Rebatidas: 62

Futebol