Conteúdo por Gazeta Esportiva

Gilmar Rinaldi prega respeito moderado ao Peru: “Não pode ser temor”

Atualizado

Gilmar Rinaldi marcou presença no evento Pizza Solidária (Foto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press)

A Seleção Brasileira decide a o título da Copa América neste domingo, no Maracanã, diante do surpreendente Peru. A final é um reencontro entre os times, que se enfrentaram pelo Grupo A da primeira fase – o resultado foi uma goleada por 5 a 0 para o Brasil na Arena Corinthians.

Apesar do placar da primeira fase, a seleção peruana chega à final motivada depois de eliminar os favoritos Uruguai e Chile nas quartas de final e semifinais, respectivamente. Para Gilmar Rinaldi, ex-goleiro e ex-coordenador-geral de seleções da CBF, o Brasil precisa jogar com seriedade para evitar outra surpresa.

“Tem que tomar cuidado agora porque a gente pode ser surpreendido, como foi o Uruguai e o próprio Chile. A gente tem que respeitar, o futebol vive de respeito”, disse o tetracampeão do mundo à Gazeta Esportiva e à TV Gazeta no evento Pizza Solidária, promovido pelo jornalista da TV Gazeta Flávio Prado e pelo ex-jogador Juninho Paulista em sua pizzaria em São Paulo.

Porém o ex-goleiro da Seleção destacou que o respeito não pode diminuir o ímpeto da equipe comandada por Tite. “O respeito não pode ser temor, não pode inibir. Nós somos a Seleção Brasileira, temos cinco títulos [de Copa do Mundo]. Eles têm que sentir essa força”.

“Cabe aos nossos jogadores mostrar que nós somos campeões do mundo e que é diferente jogar contra o Brasil. Tem que traduzir isso em jogo, em volume, em pressão, e pelo menos não pode ser fácil. A gente tem que vender muito caro”, finalizou o ex-goleiro de Internacional, São Paulo e Flamengo.

*Especial para a Gazeta Esportiva

Copa América