Gols sofridos tiram Abel do sério: ‘A defesa mais vazada não ganha troféu’

Fluminense sofreu 11 gols nas seis primeiras rodadas do Campeonato Brasileiro

Abel Braga no comando do Fluminense contra o Palmeiras (Foto: Lucas Merçon/Fluminense F.C.)
Abel Braga no comando do Fluminense contra o Palmeiras (Foto: Lucas Merçon/Fluminense F.C.)

“A melhor defesa é o ataque”: tal ditado não funciona para o Fluminense versão 2017. O time de Abel Braga tem um dos ataques mais eficientes na temporada, mas o sistema defensivo está devendo. Já são 46 gols sofridos em 36 partidas – o Tricolor foi vazado 11 vezes em seis rodadas do Campeonato Brasileiro.

O desempenho ruim voltou a atrapalhar os planos do Flu neste sábado, na derrota por 3 a 1 para o Palmeiras no Allianz Parque. Após o jogo, o técnico afirmou que chegou a perder a elegância com os jogadores no vestiário.

– Falei pros meus jogadores, fui até deselegante: a defesa mais vazada não ganha troféu. Os caras fizeram gols muito simples na gente. Mas isso me dá mais força – explicou o chateado, mas esperançoso treinador do Fluminense:

– Olho lá pra cima, aquele cantinho, os torcedores do Fluminense lá, acreditando, procurando incentivar. E a garotada, né? – finalizou Abel Braga.

O saldo do Fluminense no Brasileirão está zerado: 11 gols sofridos e 11 gols marcados. Se os goleiros Diego Cavalieri e Júlio César estão tendo problemas lá atrás, Henrique Dourado segue brilhando na frente. O camisa 9 chegou ao seu sétimo gol na competição diante do Palmeiras, seu ex-clube, no Allianz Parque.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Esportes

Loading...