Conteúdo por Gazeta Esportiva

Gratidão x Europa: equipe de Sampaoli não faz ideia do futuro do técnico do Santos

Futuro de Sampaoli no Santos segue indefinido (Foto: Ivan Storti/SFC)

Jorge Sampaoli repete a cada entrevista a incerteza sobre a permanência no Santos em 2020. Frases como “O meu objetivo é vencer o próximo jogo” e “Ainda não tive tempo para falar sobre o projeto” são repetidas. E não são clichês.

Sampaoli, realmente, não sabe onde estará na próxima temporada. E as pessoas que vieram ao Peixe por causa do argentino vivem a mesma hesitação.

Por um lado, Jorge Sampaoli é muito grato ao Santos e, principalmente, à cidade de Santos. Ele readquiriu a felicidade em ser treinador depois da frustração na seleção argentina e adora sua rotina na Baixada Santista.

Em contrapartida, o futebol europeu ainda seduz Sampaoli após a boa passagem pelo Sevilla, na Espanha, interrompida pelo “sim” para seu país. Sondagens como do Betis ocorreram neste ano, porém, nada oficial chegou.

O técnico não almeja voltar a morar na Argentina neste momento e, dentre competições na América do Sul, prioriza o Brasil, onde há maior equilíbrio. Ser campeão no país de Pelé em 2020 era o plano quando assinou com o Alvinegro. Ir para outra equipe daqui é uma opção improvável, mas possível.

O grande problema para permanecer no Santos é financeiro. Com a chegada do superintendente Paulo Autuori, a relação com a diretoria melhorou e a rotina no CT Rei Pelé idem. Mas Autuori não mexe em dinheiro. Só avisa da falta dele.

O Peixe precisa cortar gastos para 2020 e Jorge Sampaoli vê chance pequena de brigar por títulos nacionais ou internacional (Libertadores da América) com o atual elenco. Pior: teme pela perda de titulares, como Lucas Veríssimo e Soteldo. Gustavo Henrique e Jorge já devem sair.

Paulo Autuori e os demais dirigentes tentarão convencer Sampaoli a honrar o contrato até dezembro de 2020. A ideia é negociar atletas pouco utilizados e contratar quem chegue para vestir a camisa e jogar, como o Flamengo fez neste ano. Os quatro maiores salários atuais são de Cueva, Bryan Ruiz, Uribe e Vanderlei, nenhum titular.

Autuori está reunindo o material suficiente e deve conversar com Jorge Sampaoli na próxima semana, depois das partidas fora de casa contra Avaí e Goiás, para mostrar ao técnico detalhadamente o que o Santos pode oferecer. Mesmo assim, o treinador não deve definir o futuro antes do fim do Campeonato Brasileiro. 

A comissão técnica de Sampaoli conta com os auxiliares Jorge e Carlos Desio e os preparadores físicos Pablo e Marcos Fernández. O argentino ainda indicou o gerente de futebol Gabriel Andreata e o analista de desempenho Felipe Araya.

Mais conteúdo sobre

Futebol