Há dez anos no Inter, D’Alessandro faz evento beneficente e promete avaliação

PORTO ALEGRE, RS (UOL/FOLHAPRESS) – D’Alessandro comemorou 10 anos de Inter nesta segunda-feira (30). Em um evento beneficente, o jogador falou da alegria vivida neste período e ainda aproveitou para ajudar quem precisa.

Foram três ONG’s auxiliadas com a verba do evento. Os ingressos foram vendidos a R$ 350 e esgotaram-se em poucas horas. Amor ao Próximo, Associação Tia Lolô do Ônibus e Lar da Amizade receberão doações do atleta.

“Que seja primeiro um evento legal para dar esta ajuda importante para as instituições, depois focamos no evento, tem convidados importantes, que conviveram comigo há muito tempo, gente que não vejo há muito tempo. É comemorar com felicidade e emoção tanto tempo aqui em Porto Alegre, como atleta e cidadão. E uma ação beneficiente que continuamos trabalhando. Temos o jogo, o blog, pessoas que me ajudam a fazer o bem, também. Então conseguimos e vamos conseguir depois de hoje ajudar a três instituições que precisam disso. Graças a convidados e pessoal que pagou ingresso vamos ajudar. Ficamos feliz por isso”, disse.

Foi em 30 de julho que D’Alessandro desembarcou em Porto Alegre. Não jogou de cara, mas foi ao Beira-Rio para assistir à partida contra o Santos.

“Eu lembro como se fosse ontem o dia que eu cheguei. Não falava um português perfeito, mas hoje me viro. Meus filhos falam perfeitamente, eu fico até bravo, sem sotaque, sem nada. Sinceramente eu não sei o que deu tão certo assim. Tem algumas coisas que temos que frisar e falar que são importantes. O clube me deu suporte, ajuda, me acolheu desde o primeiro dia de uma maneira impressionante. Não só a mim, mas minha família”, resumiu.

“Falando de conquistas, do Inter, do clube em si. Fiz parte de grupos vitoriosos. Tive do lado jogadores experientes, vitoriosos, que já tinham passado pela Europa, que tinham ganhado títulos no clube, isso fez com que minha adaptação fosse muito mais fácil. A proximidade com Uruguai e Argentina ajudou muito. Chimarrão, churrasco, muitos costumes que quando vai muito longe, a gente sente falta. E eu não senti falta de nada em Porto Alegre. Eu tive a oportunidade, com dois ou três dias, viajar para ver meus pais e amigos, ou eles virem aqui. Isso facilitou muito. E as conquistas no clube também.”

Em meio às respostas, D’Ale prometeu uma reavaliação ao final do ano. Ele tem vínculo com o clube, mas disse que dependerá das eleições um planejamento num futuro breve, sem dar detalhes.

“Se eu falar de estender o vínculo agora, amanhã caem em cima de mim. Tem um fato que não podemos esquecer que são as eleições. Tenho contrato, mas já tenho uma opinião e um pensamento formado. Eu já trabalhei com muita gente, vamos ver o que acontece. Obviamente, esperar que continue esta campanha que o Inter está fazendo e chegar no fim do ano com algum objetivo importante. Depois ver quem vai ganhar, como vai se dar as eleições, e depois pensar.”

D’Alessandro referiu a importância do clube em sua família. Nestes 10 anos, deixou o Inter em 2016 para voltar ao River. Mas após menos de uma temporada regressou para fazer parte da campanha que sacou o Inter da Série B.

“Só quem entrou na minha casa sabe o que o Inter representa para mim e para minha família, o que representa nas paredes da minha casa, para meus filhos, esposa, amigos, que representa para meus pais na casa deles na Argentina. O que representa morar aqui. São 10 anos de clube, cheguei a ter que sair por um período, e não foi fácil. Só quem me conhece sabe o tamanho do Inter na minha vida”, finalizou.

Mais conteúdo sobre

Esportes